Segunda-feira, 22 de Abril de 2019
publicidade
RODOVI_RIOS.JPG
publicidade
publicidade

TRANSPORTE COLETIVO

Greve dos rodoviários é mantida e 70% da frota de ônibus fica parada nesta quinta (31)

Mais cedo, presidente do Sindicato dos Rodoviários chegou a deixar a reunião “inconformado”, segundo ele, com o 1% de reajuste oferecido pelo Sinetram. Órgão nega que tenha dado esse valor


30/05/2018 às 20:29

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário e Urbano Coletivo de Manaus e no Amazonas (STTRM), Givancir Oliveira, disse que a categoria vai manter 70% da frota de ônibus nas garagens nesta quinta-feira (31). O anúncio foi feito após uma reunião com o prefeito de Manaus, Arthur Neto, e representantes do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) na sede da Prefeitura, no bairro Compensa, na Zona Oeste da capital.

Mais cedo, Givancir chegou a deixar a reunião “inconformado”, segundo ele, com o 1% de reajuste oferecido pelo Sinetram, mas retornou minutos depois atendendo um pedido do prefeito. Agora, por volta das 20h de hoje, ele voltou a dizer que a proposta do Sinetram “é imoral”.

“Eles tiveram 30% de aumento da passagem ano passado e dizem que não conseguem dar reajuste”, questiona o sindicalista, informando em seguida que o Sinetram ofereceu desta vez 1,5%, mas a categoria luta por 3% referente ao dissídio do ano 2018/2019.

Em contrapartida, o presidente do Sinetram, Algacir Gurgacz, disse que os números apresentados por Givancir não fazem sentido. Segundo ele, o órgão ofereceu 6,5% de reajuste, mas pediu para que o valor passe a valer a partir do mês de agosto. O problema, de acordo com ele, é que o presidente do STTRM quer que o repasse seja imediato.

“O que a gente quer é a garantia de que vamos conseguir pagar o reajuste. Acertar e ter uma greve daqui dez dias não adianta nada”, declarou Gurgacz.

O prefeito de Manaus, por sua vez, declarou que vai entrar com duas ações cíveis na Justiça do Trabalho contra o Sinetram e o Sindicato dos Rodoviários solicitando “multas severas” até que o impasse seja resolvido.

Frota de 70% de manhã

Desde o início da manhã de hoje, no segundo dia de greve, os rodoviários pararam 30% da frota na capital, segundo o Sinetram, fazendo com que apenas 70%, ou cerca de 800 coletivos circulassem na cidade, prejudicando aproximadamente 350 mil usuários do transporte público. Os trabalhadores querem reajuste salarial. Atualmente o transporte coletivo em Manaus funciona com nove empresas, 229 linhas em 1,3 mil ônibus.

Negociações

Ontem, terça (29), apenas 50% da frota de ônibus circulou na cidade. Houve um diálogo entre os rodoviários, os representantes das empresas e o prefeito de Manaus, Arthur Neto. Entretanto, eles não chegaram num acordo para as reivindicações da categoria e sobre o fim da greve. Os representantes do Sinetram saíram da reunião ainda no início e sustentaram que só negociariam com os trabalhadores caso os ônibus voltassem à normalidade.

Após a reunião desta quarta-feira (30), ninguém informou quando as negociações para pôr fim à greve podem ser retomadas. No entanto, todas as partes disseram estar dispostas a continuar as discussões.

publicidade
publicidade
Incêndio atinge UBS no Zumbi 2 e atendimento está suspenso nesta segunda (22)
População de Manaus aumentou em 1,6 milhão após criação da Zona Franca
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.