Publicidade
Manaus
Manaus

Greve dos rodoviários garante o lucro dos mototaxistas e ônibus alternativos em Manaus

Paralisação de rodoviários na Zona Leste garantiu o lucro dobrado aos motoristas de micro-ônibus Alternativos, Executivos, e dos mototaxistas, nesta quarta (17) 18/12/2014 às 09:57
Show 1
Sem opção muita opção de transporte para ir ao trabalho, usuários tiveram que se espremer nos alternativos e executivos para chegar a tempo no serviço
perla soares Manaus (AM)

Os mototaxistas, condutores dos transportes Alternativos e Executivos faturaram em uma manhã o que ganhariam em dois dias de trabalho, garantindo, assim, o 13º salário de cada categoria, segundo afirmou o mototaxista Carlos José Lima, 32, que agradeceu o “presente de Natal” antecipado. “Papai Noel bondoso essa Global Green, já percebi que ela adora fazer surpresa, acho que não vou mais nem trabalhar hoje a tarde”, disse o mototaxista rindo.

Com a greve dos funcionários da empresa Global Green, realizada ontem pela manhã quando a empresa paralisou 100% da sua frota e deixou 200 mil pessoas prejudicadas. As únicas opções foram os transportes, Executivos, Alternativos e os motaxistas, que aproveitaram para lucra o dobro que ganham normalmente em um dia. Para a presidente da Federação das Cooperativas de Tansporte do Estado do Amazonas (Fecootram) Walderizia Carvalho Melo, o saldo foi positivo para os dois modais de transportes. “Quando acontecem as greves dos rodoviários, sempre aumentamos os números de passageiros e como é uma época de Natal, hoje (ontem) chegamos a dobrar esse número”, destacou.

Para os motoxista o lucro também foi garantido. A empresa Global tem 47 linhas e opera na maior parte da Zona Leste, com a greve, os motoxistas lucraram e ainda chegaram a cobrar a taxa por minutos em vez de cobrarem por trajeto, chegando a cobrar R$ 30 do terminal 5 (T5) para o Centro, garantiu o mototaxista Domingos Leal, 29. “Hoje eu faço o meu preço, as pessoas estão atrasadas, eu levo rápido se quiserem claro, mais aí o preço é outro; é o meu décimo”, afirmou

Lorena Soares da Silva, 27, achou um absurdo pelo valor de R$ 30 cobrado por um mototaxista para poder chegar ao trabalho, no Centro. “Eu bato ponto no trabalho, não posso chegar atrasada pois vai ser descontado no meu salário e também estou em período de experiência. Assim não ia ficar bem, mas isso é uma falta de respeito dos motoristas desta empresa que vivem fazendo trabalho, além de ser um assalto dos mototaxistas que estão cobrando o valor que querem”, lamentou. Lorena ainda destacou que ou ela pagava o valor cobrado ou ia pendurada nos alternativos que passavam lotados.

Prejuízo de R$ 150 mil

Ainda de acordo com o diretor, a empresa Global Green teve um prejuízo de R$ 150 mil por não ter operado durante a manhã de ontem. “Como operamos em toda a Zona Leste, em 47 linhas, aproximadamente 200 mil pessoas foram prejudicadas. O prejuízo é maior para a população que não conseguiu chegar ao seu destino”, finalizou.

Segundo a SMTU as linhas que tiveram o itinerário ampliado foram as 540, 517 e 542, mas que logo foram substituídas pelos ônibus de integração articulados nas linhas 600 e 652. Esss linhas saem do T4 e T5.

Publicidade
Publicidade