Segunda-feira, 16 de Dezembro de 2019
NOVA DECISÃO

Greve: juiz manda prender toda a diretoria do Sindicato dos Rodoviários

"Não sei em quem o Sindicato dos Trabalhadores se confia para desafiar, de forma tão desarvorada, o cumprimento de uma ordem judicial", diz o magistrado



WhatsApp_Image_2017-01-17_at_06.47.38.jpeg Ônibus estão nas garagens desde o início da manhã (Foto: Clóvis Miranda)
17/01/2017 às 13:42

O juiz Adilson Maciel Dantas, do Tribunal Regional do Trabalho 11ª Região, determinou a prisão de toda a diretoria do Sindicato dos Rodoviários. No total, seis membros da diretoria foram alcançados pela decisão, incluindo o presidente Givancir de Oliveira e o vice, Josildo Oliveira.

A decisão foi tomada após uma ação conjunta tomada pela  DPE (Defensoria Pública do Estado do Amazonas), a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e o Procon Amazonas. Minutos antes da decisão judicial ser divulgada, o vice-presidente do sindicato, Josildo Oliveira, afirmou que a greve não seria interrompida. ""Que venha R$ 2 milhões em multa, vamos continuar", afirmou ele. 



Em sua decisão, o juiz afirma que o movimento grevista é "tão absurdo, tão inconsequente, que chego mesmo a ponderar sobre as reais motivações e sobre os interesses que estão escondidos sob o manto dessa atitude sem precedentes".

CONFIRA A ÍNTEGRA DA DECISÃO

O juiz cita o fato de que o secretário-geral do Sindicato, Élcio Campos, ter criticado a decisão proferida anteriormente pelo magistrado. "(...) criticou a multa estabelecida contra o sindicato obreiro (ao argumento de que as multas impostas à empresas e ao sindicato patronal são sempre menores) e que já que terão que pagar a multa, o farão mantendo 100% da obra paralisada". 

E afirma, taxativo:  "Não sei em quem o Sindicato dos Trabalhadores se confia para desafiar, de forma tão desarvorada, o cumprimento de uma ordem judicial e, pior, adotando uma posição que compromete toda a sociedade que depende desse serviço de transporte coletivo - que é de natureza essencial".

O juiz afirma ainda que, por se tratar de um serviço essencial, o sindicato era obrigado a disponibilizar pelo menos  o serviço necessário para a manutenção do atendimento. Em greves legais, existe a obrigação da circulação de pelo menos 30% da frota, o que não ocorreu hoje, já que 100% dos carros ficaram nas garagens. "Quantos perderam o dia de trabalho, o dia de aula, tudo por conta de uma decisão irresponsável, autoritária, que desafia o Poder Judiciário, afronta o Estado Democrático de Direito e pretende impor à Justiça e à sociedade as decisões unilaterais do Sindicato obreiro, em detrimento de toda a sociedade?", questiona. 

Estão listados na ordem prisão os seguintes dirigentes sindicais: Givancir de Oliveira Silva, Josildo de Oliveira Silva, Élcio Campos Rêgo, João Batista Rodrigues do Nascimento, Jaildo de Oliveira Silva - o Jaildo dos Rodoviários, vereador reeleito pelo PC do B, e Josenildo de Oliveira e Silva. 

Segundo o magistrado, os mandados poderão ser cumpridos pela Polícia Federal, Polícia Rodoviária, Polícia Civil ou Polícia Militar do Amazonas, onde quer que eles se encontrem. "Cumpra-se, como de estilo, porque decisão judicial foi feita para ser cumprida ou discutida pelas vias legais, nunca por simples voluntarismo de quem quer que seja", finalizou Adilson Dantas. 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.