Domingo, 26 de Maio de 2019
EDUCAÇÃO

Greve: professores lotam a ALE-AM e pedem apoio de deputados

Medida ocorre após o governador encaminhar para ALE-AM Projeto de Lei com a reposição salarial da data-base dos profissionais da educação



ALE-AM_A3191992-1CE6-4B7B-B5BA-21AACAF768EF.JPG
Foto: Larissa Cavalcante
14/05/2019 às 10:22

Professores estaduais ocupam na manhã desta terça-feira (14), a galeria da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM). É a quarta vez que a categoria vem à Casa Legislativa em busca do apoio dos deputados na negociação com o Governo do Amazonas por reajuste salarial.  A medida ocorre após o governador, Wilson Lima, encaminhar para ALE-AM Projeto de Lei com a reposição salarial da data-base dos profissionais da educação, que será de 4,73%, conforme a contraproposta apresentada aos sindicatos da categoria na semana passada

Em vídeo gravado na noite de segunda-feira e distribuído aos professores nas redes sociais, a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinteam), Ana Cristina Rodrigues, afirma que o objetivo da reunião na Assembleia é “chamar os deputados à responsabilidade com os trabalhadores da educação”. Ação é para que reabra a mesa de negociação com o governo. 

Na abertura da sessão plenária, o presidente da ALE-AM, deputado Josué Neto (PSD), ponderou que a relação entre a categoria e os professores devem ser de respeito e conversa. Deputados estaduais estão reunidos na sala da presidência com lideranças do Sinteam e do Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom Sindical).

Por conta da capacidade de lotação da galeria, professores também manifestam com faixas, cartazes e um carro de som em frente à ALE-AM.

Em greve desde 15 de abril, os professores querem 15% de reajuste, sendo 3,93% de reposição da inflação e 9,6% referente à perda do poder de compra relativo ao período de 2015 a 2018, quando os trabalhadores ficaram sem reajuste salarial. A data-base da categoria venceu no dia 1º de março.

O governo oferece 4,73% de reajuste, e sustenta que, ao ultrapassar o limite de gastos com pessoal, a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) o impede de conceder ganho real à categoria.

Saiba mais

Além da reposição salarial da data-base dos profissionais da educação, que será de 4,73%, o governador assegurou ontem que vai começar a pagar progressões de carreira horizontais e verticais, dobrar o valor do auxílio localidade e ampliar, reajustar o auxílio alimentação e ampliar o vale-transporte dos professores que cumprem 40 horas.

O anúncio foi feito em pronunciamento para a imprensa na Sede do Governo, Zona Oeste de Manaus, com a presença do secretário de educação, Luiz Castro. Na ocasião, o governador também pediu aos professores que retornem às salas de aula e terminem a paralisação, que vai completar 30 dias e que prejudica alunos da rede estadual de ensino.

News larissa 123 1d992ea1 3253 4ef8 b843 c32f62573432
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.