Sexta-feira, 29 de Maio de 2020
Manaus

Grupo de 60 haitianos é expulso de igreja pentecostal na Zona Oeste de Manaus

A afirmação partiu do representante da Associação dos Trabalhadores Haitianos do Amazonas (ATHAM), Nestor Nascimento.



1.jpg Haitianos estavam abrigados em uma igreja pentecostal localizada na Avenida Brasil
23/04/2012 às 22:52

Um grupo de 60 haitianos que estava abrigado em uma igreja pentecostal localizada na Avenida Brasil, Bairro Santo Agostinho, Zona Oeste de Manaus, foi expulso na noite desta segunda-feira (23), a afirmação partiu do representante da Associação dos Trabalhadores Haitianos do Amazonas (ATHAM), Nestor Nascimento.

Segundo Nestor, há cerca de quatro dias um grupo de refugiados recém chegado a Manaus, foi abrigado em um prédio alugado pela Igreja Pentecostal Deus é Fiel. “Nosso acordo foi com o Pastor Jorge, de que eles ficariam aqui e que nós os ajudaríamos com a verba federal. Mas quando foi hoje a tarde ele disse que não me queria mais aqui e que eu podia levar todos os haitianos comigo, ele até ameaçou mandar me prender”, contou.



Segundo a haitiana Guirlene Cesar, de 25 anos, o grupo não está satisfeito no local, eles sofrem com ameaças do pastor. “Ele disse que ia mandar prender o Nestor, o Nestor é nosso amigo, ele faz tudo para ajudar a gente. Nós não precisamos passar por essa humilhação”, reclamou.

Procurado pela reportagem o Pastor Jorge dos Anjos, respondeu por telefone que não expulsou os haitianos, mas sim o representante da ATHAM. “Ele é um explorador, ele quer usar o dinheiro do povo pra benefício próprio. Eu vou mandar prender esse cara, porque ele não está fazendo coisa certa. Ele é espertalhão, e eu não quero corrupção na minha igreja, vou continuar a ajudar os haitianos, vamos acomodar, alimentar, dar roupas e beliches, vamos arrumar trabalho para eles. Eu proibi ele de entrar na sede da igreja”, disse.

A esposa do pastor, que estava presente no sede da igreja no momento da confusão, Pastora Marlene dos Anjos, informou ao acritica.com, que a igreja realiza um trabalho que abriga e dá condições para que os haitianos possam ter uma melhor estrutura em Manaus. “Eles chegaram aqui sem nada, nós ajudamos a todos eles, não estamos expulsando ninguém”, lembrou.

A presidente da ATHAM, Marie Ketly Vibert Franceschi, de 58 anos, informou que recebe verba federal para ajudar a custear alimentação e recursos para os haitianos no Brasil. E que a verba não pode ser desviada tendo em vista as necessidades dos refugiados. Até o fechamento desta matéria os representantes da Associação dos Trabalhadores Haitianos do Amazonas tentavam conseguir dois ônibus para retirar o grupo da igreja e levar para casa no bairro de Petrópolis.

 

 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.