Publicidade
Manaus
NEGÓCIOS

Grupo Bringel tem R$ 257,5 mi em contratos com Prefeitura e Governo do Amazonas

Empresário Sérgio Bringel, preso nessa quinta-feira (11), é apontado pela PF como sócio administrador da Bioplus, que recebeu mais de R$ 10 milhões para execução de serviços ao Estado por meio de contrato “hipersuperfaturado” 12/10/2018 às 02:51 - Atualizado em 12/10/2018 às 09:06
Show whatsapp image 2018 10 11 at 21.40.03 e791c77a 43ae 40a5 acad 73411c020bcf
Foto: Reprodução/Internet
acritica.com Manaus (AM)

Quatro empresas que pertencem ao Grupo Bringel, do empresário Sérgio Bringel, preso nessa quinta-feira (11) pela Polícia Federal, possuem 12 contratos vigentes com o Governo do Estado e com a Prefeitura de Manaus que somam R$ 257,5 milhões. 

A empresa Bringel Medical Distribuidora De Medicamentos Ltda, que também faz parte do grupo, mantém quatro contratos com a prefeitura, contabilizando R$ 17,7 milhões, para o serviço de locação de unidades adaptadas e móveis para realização de exames, além de central de nebulização. 

Com o governo, a Bringel Medical fornece material para procedimentos traumato-ortopédicos de média e alta complexidade no Platão Araújo e no João Lúcio.

Para o serviço de gerenciamento de resíduos de serviços de saúde, a Norte Ambiental do Grupo Bringel possui um contrato com o Estado do montante de R$ 216 milhões e um com a prefeitura de R$ 86,2 mil. 

A Doc Security, pertencente ao Grupo, tem um contrato com a Maternidade Moura Tapajós, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), para serviços de arquivos que soma a despesa de R$ 558,4 mil.

Sérgio Bringel é apontado pela PF como sócio administrador da Bioplus que recebeu mais de R$ 10 milhões para execução de serviços de esterelização de equipamentos médicos por meio de contrato “hipersuperfaturado”, acarretando, segundo relatório da polícia, “enriquecimento ilícito à custa da saúde dos pacientes da UPA e maternidade de Tabatinga, que registrou, no período, diversos episódios de infecção hospitalar pelo serviços ‘prestado’ pela Bioplus”.

No pedido de prisão preventiva do empresário, a PF ressalta que o Grupo Bringel possui diversos contratos com o Estado do Amazonas, cujos indícios apontam para um alcance muito maior das práticas ilícitas por ele comandadas. “A fraude era de grande vulto, pois os serviços, nas palavras de Mouhamad Moustafa, foi hipersuperfaturados”, diz um trecho do pedido.

Publicidade
Publicidade