Publicidade
Manaus
'Mães de Anjos Unidas'

Grupo de mães de crianças com deficiências promovem encontro nesta sexta-feira (20)

Encontro será no Centro de Convivência Madalena Arce Daou. Atualmente o grupo conta com pelo menos 700 pessoas de todo o Brasil, sendo 120 mães do Amazonas 19/05/2016 às 11:50 - Atualizado em 20/05/2016 às 18:49
Show img 3049
Este é o segundo encontro promovido pelo grupo 'Mães de Anjos Unidas' em Manaus (Foto: Divulgação)
Luana Carvalho Manaus (AM)

Um grupo de apoio à mães de crianças com microcefalia,  que começou com aproximadamente 20 integrantes em novembro do ano passado, cresceu e atualmente conta com pelo menos 700 pessoas de todo o Brasil, sendo 120 do Amazonas, que agora trocam informações sobre vários tipos de deficiências. Na próxima sexta-feira (20), elas se reunirão para o 2º encontro ‘Mães de Anjos Unidas’, a partir das 18h, no Centro de Convivência da Família Magdalena Arce Daou, na Compensa, Zona Oeste. O evento é aberto ao público. 

“Vamos ter dança das mães com as crianças especiais, apresentação teatral, vídeos em homenagens às mães, entre outras atividades bem didáticas”, contou Viviane Lima, idealizadora do grupo e mãe de Ana Victória e Maria Luiza, duas adolescentes com microcefalia. 

O grupo foi criado no final de novembro de 2015, com o objetivo de ajudar mães de crianças com microcefalia, no início da epidemia de Zika no Brasil, quando pesquisas comprovaram  que o vírus pode estar ligado a graves defeitos congênitos, incluindo microcefalia, em mulheres que são infectadas durante a gravidez. 

Porém, em poucos dias de existência, o grupo ganhou destaque inclusive no noticiário nacional, acumulando mais integrantes. “Criamos um grupo nacional e depois de um certo período, o grupo começou a crescer e dividimos por Estado. No Amazonas, em especial, pelo fato de eu estar aqui,  a gente abrange mães de filhos com vários tipos de deficiências, não somente crianças com microcefalia”, explicou.

Viviane conta que todos os dias o número de mães que a procuram é grande. “Elas querem saber como entrar no grupo, fazem algumas perguntas, e nosso objetivo é ajudar e tentar esclarecer algumas dúvidas. Estamos fazendo esse encontro especialmente para homenagear estas mães”, completou. 

O grupo está presente em 10 estados do país. No Facebook, o grupo mantém uma comunidade chamada ‘Eu tenho um Ser Especial’, com quase 9 mil curtidas.

Microcefalia no AM

Na última quarta-feira (18), o Ministério da Saúde confirmou 1.384 casos de microcefalia e outras alterações do sistema nervoso, sugestivos de infecção congênita em todo o país. No Amazonas, 10 casos estão em investigação e quatro foram confirmados e c inco descartados. Ao todo, 19 foram notificados. A pasta considera que houve infecção pelo Zika na maior parte das mães que tiveram bebês com diagnóstico final de microcefalia.

Casos confirmados no Brasil

Os 1.384 casos confirmados em todo o Brasil ocorreram em 499 municípios, localizados em 26 unidades da federação. Apenas no Acre não existe registro de confirmação.  Desses casos, 207 tiveram confirmação por critério laboratorial específico para o vírus Zika. O Ministério da Saúde, no entanto, ressalta que esse dado não representa, adequadamente, a totalidade do número de casos relacionados ao vírus. 

No total, foram notificados 7.534 casos suspeitos desde o início das investigações, em outubro de 2015, sendo que 3.332 permanecem em investigação. Outros 2.818 foram descartados por apresentarem exames normais, ou por apresentarem microcefalia e ou malformações confirmadas por causa não infecciosas ou não se enquadrarem na definição de caso.

A pasta orienta as gestantes adotarem medidas que possam reduzir a presença do mosquito Aedes aegypti, com a eliminação de criadouros, e proteger-se da exposição de mosquitos, como manter portas e janelas fechadas ou teladas, usar calça e camisa de manga comprida e utilizar repelentes permitidos para gestantes.

Publicidade
Publicidade