Publicidade
Manaus
Manaus

Grupo de professores do Amazonas critica proposta de reajuste salarial

Segundo o professor Lambert Melo, o grupo não concorda com apenas 10% do reajuste e o pagamento parcelado de 6,31% em junho, 2% em outubro e 1,39% em dezembro 29/05/2013 às 11:34
Show 1
Professores fizeram manifestação na sexta (24) em frente a sede do Governo para reivindicar a proposta de aumento salarial
Bruna Souza Manaus, AM

Representantes da Associação de Professores e Luta de Manaus (Asprom) questionam a legitimidade da proposta de reajuste salarial de 10% e o pagamento reatroativo da data base referentes aos meses de março a maio apresentada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Amazonas (Sinteam), nesta terça-feira (28). Segundo o diretor de comunicação do movimento independente, professor Lambert Melo, a reunião para estabelecer a proposta foi realizada com a minoria da categoria e lamentou o ‘baixo’ reajuste salarial.

“Essa proposta é ridícula, lamentamos os critérios estabelecidos na elaboração dessa proposta e questionamos a legitimidade da assembleia que foi realizada pelo sindicato com apenas 53 professores, que não representam a porcentagem de professores que existem no estado”, disse Lambert.

Segundo o professor, a associação não concordar com apenas 10% do reajuste e o pagamento parcelado de 6,31% em junho, 2% em outubro e 1,39% em dezembro. Os trabalhadores de educação pertencentes à associação reivindicam o aumento de 15%, além do pagamento imediato da data base.

“Vamos aguardar a proposta chegar à Assembleia Legislativa do Estado e um posicionamento do governo para apresentarmos emendas que visam mudar a proposta feita pelo sindicato”, declarou.

Sinteam

A assessoria de imprensa do Sinteam informou o percentual estimulado na proposta representa um ganho acima da média nacional e cita os estado de São Paulo que conseguiu um aumento de apenas 8,01% e Bahia que ainda não conseguiu o aumento.

Segundo a assessoria, o percentual representa o ganho real da categoria referente ao que a lei determina para o pagamento da data base pelo governo do Estado. O ganho real para a categoria estipulado na proposta é acima do previsto de acordo com os índices inflacionários. O percentual de 6,31 % é garantido pelo Índice Nacional de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA) e as negociações realizadas pelo sindicato garantiram mais 3,69%, totalizando os 10% pagos retroativamente até o mês de dezembro.

O Sinteam ainda informa que a assembleia realizada para discutir os critérios da proposta de reajuste tiveram a participação de mais de 200 professores afiliados e dentro dos parâmetros do sindicato exigidos para a legitimidade da ação do sindicato e ainda na manhã desta quarta-feira (29), o presidente do Sinteam Marcos Libório e representantes da categoria se reunirão com o governador Omar Aziz para a apresentação e oficialização das propostas.

Paralisação

Nos últimos dias 23 e 24 deste mês, os professores da Asprom realizaram uma paralisação nas aulas das escolas da rede estadual e uma manifestação com cerca de 2 mil trabalhadores na frente da sede governo.

Publicidade
Publicidade