Publicidade
Manaus
MEIO AMBIENTE

Voluntários de projeto retiram lixo da orla do Rio Negro antes da cheia em Manaus

Iniciativa existe há quase três meses e já atrai dezenas de voluntários, apaixonados pela questão ambiental 16/11/2018 às 07:18
Show dddd ae40b4f7 f252 4bd8 95fd 7452e3f040b9
Mais de 50 voluntários passaram a tarde de ontem ajudando a remover todo o tipo de resíduos encontrados na orla do Negro. (Foto: Euzivaldo Queiroz)
Izabel Guedes Manaus (AM)

Máscaras, luvas, sacos de lixo e boa vontade. Foi assim que um grupo de mais de 50 pessoas passou a tarde de ontem na orla da cidade, no início da avenida Sete de Setembro, próximo ao Palácio Rio Branco, no Centro, para coletar o maior número de lixo possível e evitar que os dejetos voltem para o rio quando o mesmo iniciar o processo de cheia. 

Um dos idealizadores do projeto, Dam Stump, afirmou  que intenção é limpar todo o espaço até o final do ano. Ele explicou que a iniciativa começou com um grupo pequeno de amigos que visitavam o espaço para ver o pôr do sol. 

Ontem, na quinta ação realizada pelo “Igarapés limpos”, nome dado a iniciativa, mais de 50 pessoas abraçou a ideia. “A nossa proposta é realmente reunir as pessoas que têm um pensamento ambientalista, de renovação, que quer fazer o bem para a nossa cidade. A gente começou de uma maneira muito espontânea e já vai fazer três meses. A cada ação, o número de participantes só aumenta. Então é sinal de que está dando certo”, disse. 

Engajamento

As ações são concentradas, nesse primeiro momento, em um único local para não dispersar o foco do grupo e facilitar o engajamento de outras pessoas que pensam na preservação do meio ambiente. 

Foi com esse foco que o estudante de Direito, Gabriel Machado, 21, começou a participar da equipe. “Esse trabalho deveria ser também do poder público, mas como ele não existe, a sociedade civil tem que tomar partido, tomar a iniciativa e, a partir dessas atitudes tão bonitas, como a Igarapés Limpos, a gente pode acabar influenciando outras pessoas”, destacou o universitário.

“Aqui mesmo a gente esta ajudando. Hoje que tem mais gente do que das outras vezes. Então é sinal de que as coisas estão evoluindo e melhorando, mais pessoas estão contagiadas com esse sentimento social de cuidado, porque nós não domamos a natureza, mas estamos nela”, comentou. 

Assim como Gabriel, a estudante de Jornalismo, Rebeca Navarro, 21, vê a iniciativa como benéfica para a natureza. Ela foi chamada por um amigo e sempre que pode, participa das ações. “Eu comecei na segunda ação e cada vez tem mais gente envolvida. É bom. Estamos pensando no coletivo. Muita gente fala que isso não resolve, que não adianta porque sempre vai ter lixo, mas a gente sabe que tem que fazer a nossa parte”, destacou. 

Projeto vai conversar com moradores das proximidades

O projeto “Igarapés Limpos” não tem fins lucrativos e por enquanto é feito apenas nas margens do rio Negro,  atrás do Paço da Liberdade, no Centro Histórico de Manaus. Após as ações, o grupo pretende ampliar  as atividades de conscientização. “Depois que o rio subir,  a gente vai fazer isso. Perguntar da população se tem consciência do que é essa área, se eles jogam lixo aqui, porque fazem isso e se sabem os perigos que todo esse material causa ao meio ambiente”.

“No decorrer das atividades, a gente já vem conversando com a Prefeitura e outras instituições, falando com ambientalistas para saber sobre o Ph da água, para ver se é bom tomar banho aqui ou não, pois têm muitas crianças que vem tomar banho aqui. Então,  de algo  simples, nós acabamos abrangendo muitas outras coisas, conhecendo muita gente e ampliando as ideias”, explicou Dam Stump, um dos idealizadores do projeto.

Publicidade
Publicidade