Quarta-feira, 26 de Junho de 2019
Manaus

Grupo especializado é acionado para retirar dinamites de dentro da Delegacia Geral

Quinze dinamites foram apreendidas em operação policial num sítio e levadas para o local. Servidores ficaram assustados, mas DG negou riscos de explosão



1.jpg Grupo Marte, especializado em manejo de artefatos explosivos, foi acionado para verificar material
05/05/2015 às 15:46

Um procedimento de retirada de dinamites na manhã desta terça-feira (5) assustou funcionários e policiais que trabalham no prédio da Delegacia Geral de Polícia Civil (DG), no bairro Dom Pedro, na Zona Centro-Oeste de Manaus. Os artefatos estavam na sede da DG, mas o local não foi totalmente evacuado, o que deixou servidores apreensivos com uma possibilidade de explosão.

Ao todo, quinze bananas de dinamite estavam dentro da DG, e uma equipe do Grupo de Manejo de Artefatos Explosivos (Marte) da Polícia Militar foi acionada para “analisar” o material. Apesar da assessoria de imprensa do órgão negar o risco de explosão, alguns servidores foram dispensados, mas outros continuaram trabalhando normalmente.

As quinze dinamites teriam sido apreendidas junto com drogas e outros materiais no sítio do Clemilson, no ramal do Pau Rosa, que fica no Km 21 da rodovia BR-174, na noite de segunda-feira (4), em uma operação do Departamento de Investigação sobre Narcóticos (Denarc) e do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO).

As dinamites estavam enterradas no local e, após a apreensão, foram levadas para a sede do Denarc, que fica dentro do prédio da DG. No sítio, ainda teriam sido apreendidos um rastilho (fio coberto de pólvora), uma espoleta, um detonador e um fuzil da Marinha do Brasil de calibre 762, com carregadores e munição. A origem das dinamites ainda estão sendo investigadas.

Como as dinamites estavam no pátio da DG, onde funciona o restaurante do prédio, os servidores tiveram que procurar outro local para almoçar. Questionada sobre risco de explosão, a assessoria do órgão negou tal possibilidade e informou que o material foi levado para a Delegacia Geral porque não apresentava riscos, em um procedimento padrão.

Após análise do artefato, policiais do grupo Marte removeram as 15 dinamites de dentro da DG e levaram os materiais para a avenida do Samba, via localizada em frente à sede da Delegacia Geral. Segundo o capitão Feitosa, do Marte, foi necessário levar as dinamites para uma área externa para a desativação do explosivo. Até as 15h45, os policiais ainda trabalhavam no caso.

Policiais mortos

No ano de 2009, peritos da Superintendência da Polícia Federal do Amazonas morreram após uma explosão ocorrida durante manejo de artefatos explosivos na sede da PF, também no bairro Dom Pedro. A explosão ocorreu no laboratório da PF e outros policiais ficaram gravemente feridos.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.