Publicidade
Manaus
INICIATIVA

Grupo firma parceria com Ufam para monitorar combustíveis de postos de Manaus

O Grupo Equador Petróleo tomou a iniciativa de lançar a campanha combustível limpo, que tem o objetivo de fiscalizar todos os 25 postos pertencentes ao grupo na cidade de Manaus 14/07/2017 às 07:43 - Atualizado em 14/07/2017 às 07:49
Show grupo
A iniciativa tem a parceria do Grupo Equador com o laboratório de combustíveis da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) (Foto: Gilson Mello)
Rebeca Mota Manaus (AM)

Nos últimos meses, os preços dos combustíveis diminuíram, de R$ 3,89 para R$ 2,99 e para não criar desconfianças nos consumidores, o Grupo Equador Petróleo tomou a iniciativa de lançar a campanha combustível limpo, que tem o objetivo de fiscalizar todos os 25 postos pertencentes ao grupo.

A iniciativa tem a parceria do Grupo Equador com o laboratório de combustíveis da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) com o intuito de aproximar o consumidor ao produto que é usado no seu carro, para saber se não existem impurezas e se seguem as normas Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

“A porcentagem obrigatória de etanol anidro combustível que deve ser adicionado na gasolina é de 27%, sendo que a margem de erro é de 1% para mais ou para menos. Por isso, analisamos o aspecto e a cor para saber o tipo de impureza e coloração. E aqui no laboratório analisamos componente como água, álcool e outras substâncias”, revela Adalto Costa, técnico químico da UFAM.

A escolha de um posto de combustíveis pode influenciar em fatores muito importantes para o veículo e o bolso. É importante saber a procedência dos combustíveis e certificar se o estabelecimento possui qualidade no produto e se estão dentro das normas ANP e do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). Com isso, evitar os riscos de problemas mecânicos.

“O cliente pode solicitar do chefe de pista ou do gerente do posto o teste de qualidade do produto. Caso ele continue com dúvida pode solicitar os laudos dos testes”, explica.

Segundo Adalto a APN tinha um programa de monitoramento de combustíveis, mas com a crise econômica o Amazonas ficou sem a fiscalização. “O grupo Equador continuou com a preocupação de ter o monitoramente e acompanhar a qualidade do combustível”.

Combustível reajustado

A Petrobras anunciou ontem  mais um ajuste nos preços dos combustíveis. Desta vez, a gasolina subirá 1,7%, enquanto o óleo diesel cairá 0,9% na venda para as refinarias. Os novos preços valerão a partir de sexta-feira, dia 14. A nova política de revisão de preços foi divulgada pela petroleira no último dia 30 de junho.

Com o novo modelo, a Petrobras espera acompanhar as condições do mercado e enfrentar a concorrência de importadores. A estatal perdeu participação de mercado no primeiro semestre, por conta de competidores que estavam trazendo combustíveis mais em conta do exterior, aproveitando o momento de recuperação de margens, adotado pela estatal.

Publicidade
Publicidade