Publicidade
Manaus
Mobilização

Grupo protesta pelo fim da violência contra crianças e adolescentes em Manaus

Ato público aconteceu na manhã deste domingo (28), no Complexo Turístico Ponta Negra, na Zona Oeste, e reuniu integrantes do grupo Por Amor e de instituições beneficentes 28/08/2016 às 11:43
Show fim2
Organizado pelo grupo Por Amor, a 2ª edição do Grito de Paz foi realizada em parceria com instituições beneficentes (Foto: Antônio Lima)
Silane Souza Manaus (AM)

Com gritos de “criança brinca, mas não é brinquedo” e “paz em Manaus”, integrantes do grupo Por Amor e de instituições beneficentes protestaram pelo fim do abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. O ato público aconteceu na manhã deste domingo (28), na 2ª edição do Grito de Paz, realizada no Complexo Turístico Ponta Negra, na Zona Oeste de Manaus.

Na ocasião, os participantes, que estavam vestindo roupas brancas, fizeram uma passeata pelo complexo turístico e distribuíram materiais impressos de conscientização e de orientação sobre os canais de denúncia. Além dos gritos de ordem, eles também carregaram faixas e cartazes pedindo o fim desse tipo de violência. O ato começou por volta de 9h30 e terminou às 10h30.

De acordo com o coordenador do evento, Ely Barbosa, o intuito é despertar a população para os casos de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, que tem aumentado neste ano. “De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas, nos primeiros quatro meses de 2016 quase 300 foram abusadas ou exploradas sexualmente. Um aumento de 9% em relação ao mesmo período de 2015”, afirmou.

(Foto: Antônio Lima)

“A gente sabe que esses números não são reais”, continuou. “Nós temos um número muito maior, pois ainda há grande inibição da denúncia e medo de expor os casos porque a maioria é intrafamiliar, acontece dentro de casa. Então, a gente quer levantar a voz para essas crianças e adolescentes que não tem voz. Levantar um grito para aqueles que estão com o grito entalado na garganta e não podem fazer nada”, concluiu Barbosa.

Conforme ele, o ato público também tem por objetivo passar uma mensagem para a população em geral e as autoridades no sentido de que os casos de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes sejam denunciados, que punições mais severas possam ser aplicadas e que novos projetos de lei possam nascer a partir dessa mobilização. “Queremos que nossa voz chegue até quem pode tomar decisões para que façam algo que traga diferença para a nossa cidade”, pontuou.

Parceria

Organizado pelo grupo Por Amor, a 2ª edição do Grito de Paz foi realizada em parceria com instituições beneficentes que atendem a crianças e adolescentes vítimas de abuso e exploração sexual, entre os quais o abrigo O Coração do Pai.

(Foto: Antônio Lima)

Mobilização

Em 2015, o grupo realizou a primeira edição do “Grito de Paz” para protestar contra a série de 38 homicídios ocorridos em Manaus no mês de agosto. Em outubro do mesmo ano, o Por Amor organizou o manifesto “Paralisa – Chega de Corrupção”, na praça Heliodoro Balbi, ocasião em que foram coletadas assinaturas para o projeto “10 medidas contra a corrupção”, criado pelo Ministério Público Federal (MPF).

 

Publicidade
Publicidade