Publicidade
Manaus
FORÇA E RESISTÊNCIA

Grupos de Apoio a Pais na Saudade completa 11 anos ajudando famílias a se reerguerem

Missa neste sábado inicia programação. Lema do grupo é “Transformar Dor em Amor e Solidariedade”, segundo a fundadora Fabíola Galvão, lembrando que o Gasp foi criada em 7 de outubro de 2007 e começou com apenas 8 mães 06/10/2018 às 09:43 - Atualizado em 06/10/2018 às 09:43
Show gaps10 6a561b46 2bca 409a ad25 936151b95ebc
Fabíola Galvão (de rosa) e alguns membros do Grupo de Apoio a Pais na Saudade / Foto: Arquivo/AC
Paulo André Nunes Manaus (AM)

O Grupo de Apoio a Pais na Saudade (GAPS) completa, amanhã, 11 anos de fundação. A data será festejada neste sábado, com uma reunião comemorativa e uma missa na Igreja Católica de Santa Rita, no bairro da Cachoeirinha, Zona Sul, a partir das 19h, além de um passeio para um sítio em Iranduba e um almoço no fim do mês, como forma de celebração

O lema do Grupo é “Transformar Dor em Amor e Solidariedade”, segundo lembra uma das suas fundadoras, Fabíola Galvão, destacando que o Gasp foi criado em 7 de outubro de 2007 e começou com apenas 8 mães.

“Em 11 anos de existência já temos computados em nosso livro de presença mais de 2 mil assinaturas. Nesse período temos ajudado muitas famílias a se reerguerem de suas tragédias pessoais, em especial a morte de filhos, seja das mais variadas formas, seja de doença, câncer, quanto de um acidente, seja desse trágico ato que hoje em dia está se tornando rotineiro que é o suicídio. Muitos jovens estão tirando a própria vida, e vemos chegar em nosso grupo muitos pais chorando por essa dor terrível de ver um filho que tirou a própria vida. Complicado de administrar”, disse ela.

“Nosso lema é ‘transformar dor em amor’, e o Gasp é coordenado por mim, Fabíola Galvão, e mais 8 pessoas que me ajudam a conduzir esse trabalho, Nosso encontros acontecem no último domingo de cada mês no Parque do Idoso, na sala Papoula, às 17h. São duas horas de reunião, onde vemos casais chegarem desmoronados e saírem com um sorriso de esperança nos lábios pois encontram naquela sala força para continuarem suas caminhadas. Eles encontram pessoas que também passaram pela experiência que eles estão passando, e isso nos gratifica bastante pois sabemos o quão importante é receber um abraço, nesse momento, de um casal que experimentou essa dor e sabe medir o quão pesado é essa experiência”, declarou a fundadora.

Encontro 'Cartas Consoladoras'

Nos dias 8, 9 e 10 de novembro o Gasp vai realizar, também no Parque do Idoso, o encontro “Cartas Consoladoras”, com a presença de dois médiuns espíritas de São Paulo que virão para sessões de psicografia.

“Aproveito para convidar os interessados. É gratuito, e o único ingresso é a doação de 1 quilo de alimento não-perecível. Estamos tentando construir um mundo melhor e dando a nossa parcela de contribuição, enveredando o nosso trabalho para a área do empreendedorismo social, tentando alcançar outras áreas como parcerias com o Detran (Departamento de Trânsito do Amazonas), conscientizando as pessoas por um trânsito mais humano, e com entidades que precisam do nosso apoio, seja com doações de alimentos, enfim. Não estamos apenas consolando a dor da perda de um filho, mas também consolando os corações de outras dores que as pessoas estão passando”, ressalta  Fabíola Galvão.

Publicidade
Publicidade