Quinta-feira, 25 de Abril de 2019
publicidade
vacina11_96B56B5C-3B35-4AA7-B207-4D281FE7B943.jpg
publicidade
publicidade

PRIORIDADES

H1N1: gestantes e crianças até cinco anos serão os primeiros vacinados, diz ministro

Governo Federal antecipou campanha de vacinação no Amazonas por conta do surto que já causou 24 mortes no Estado


14/03/2019 às 18:41

O Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mendetta, afirmou, durante transmissão ao vivo no Facebook do Presidente Jair Bolsonaro, que a campanha de vacinação no Amazonas deve iniciar por gestantes e crianças de 0 até seis anos incompletos.

" A gente vai vacinar primeiro gestantes e crianças, que é o grupo de risco principal. Depois o público alvo da campanha", afirmou o ministro, durante o anúncio do envio de 1 milhão de vacinas para o Amazonas. O público-alvo geral da campanha é formado por bebês, idosos, grávidas, mulheres até 45 anos em resguardo, pessoas com doenças crônicas, trabalhadores da saúde, da educação e do sistema prisional, detentos de unidades prisionais e indígenas

publicidade

O Amazonas vive um surto de gripe H1N1. Subiu para 96 o número de pessoas infectadas com o vírus da Influenza A (H1N1), conforme a edição nº 08 do Boletim Epidemiológico da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no Estado do Amazonas, divulgado nesta quarta-feira (13), pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS). Um aumento de 5 casos positivos para a infecção em relação ao último informe, divulgado na segunda-feira (11).  Até aqui, foram 24 mortes, sendo 20 em Manaus.

"As vacinas vão ajudar a controlar essa crescente no número de mortes por gripe no Amazonas", sustentou o ministro.

publicidade
publicidade
Crianças vacinadas contra H1N1 no Amazonas precisam tomar a 2ª dose
AM está há 29 dias sem óbitos por H1N1, mas mortes por Vírus Sincicial sobem
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.