Publicidade
Manaus
DESAPARECIDO

‘Há indícios que ele possa ter se jogado’, diz delegada sobre aviador da FAB desaparecido

A polícia trabalha com todas as hipóteses que envolvem o sumiço do rapaz, de 25 anos e natural de São Paulo. Um cunhado dele deve vir a Manaus para acompanhar as investigações 04/07/2018 às 11:30
Show aviador
O aviador da FAB, de 25 anos, desapareceu na última segunda-feira (Foto: Arquivo Pessoal/Facebook)
Amanda Guimarães Manaus (AM)

A Polícia Civil do Estado do Amazonas não descarta a possibilidade de o aviador da Força Aérea Brasileira (FAB), Gabriel Ferreira, de 25 anos, que desapareceu em Manaus na madrugada dessa segunda-feira (2), ter se jogado da Ponte Jornalista Phelippe Daou, conhecida como Ponte Rio Negro, que liga Manaus a Iranduba. Um Boletim de Ocorrência (B.O) foi registrado sobre o caso na 31ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) do município distante 27 quilômetros da capital.

Durante entrevista concedida ao Portal A Crítica, a delegada Sylvia Laureana, a titular da 31ª delegacia, afirmou que a Polícia Civil está trabalhando com todas as hipóteses que envolvem o desaparecimento do militar, natural de São Paulo. Imagens das câmeras de segurança da Ponte Rio Negro não deram informações sobre o paradeiro dele.

"Não há registro de imagens. Ainda precisamos fazer o informe de forma oficial, mas acredito que não temos imagens. Estamos trabalhando até que se encontre o corpo. A gente tem quer ter cautela. Há indícios que ele possa ter se jogado, pelo local que o carro foi encontrado, mas só vamos confirmar depois que as perícias forem realizadas", disse Sylvia.

Segundo a delegada, o carro do aviador, um modelo Volkswagen Fox de cor preta e placas FVD-5230, emplacado em Mococa (SP), e também o celular de Gabriel devem ser periciados nos próximos dias. Um inquérito foi instaurado e colegas de trabalho do aviador da FAB também serão ouvidos. "Vou mandar periciar o veículo e o carro do aviador, a não ser que até lá encontremos alguma coisa que aponte que ele realmente se jogou. Foi feito um B.O de desaparecimento e não tem como afirmar se ele pulou ou se o tiraram de dentro do carro. Estamos trabalhando com todas as hipóteses", afirmou a titular da 31ª DIP.

A delegada também informou que a FAB e o Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas estão realizando buscas na Ponte Rio Negro. "Os dois estão fazendo as buscas, mas não sei quando vão ser encerradas. Vamos ouvir algum superior hierárquico ou colegas dele, para sabermos se ele tinha algum quadro de depressão", destacou Sylvia.   

De acordo com a delegada, parte dos pertencens do aviador da FAB serão entregues para a Aeronaútica. "Tudo isso é muito delicado. Os superiores da Aeronautica entraram em contato com a PC, me dando todo o auxílio. O chefe do Estado-Maior solicitou a devolução dos pertences do aviador, mas não tem como liberar todos eles. O carro permanece aqui, porque vai ser periciado", completou.

Apoio

Procurada pela reportagem, a mãe de Gabriel informou que a FAB e a Polícia Civil estão dando todo o suporte necessário para a família do rapaz. Segundo ela, nos próximos dias, um cunhado de Gabriel deve chegar em Manaus para acompanhar as investigações.

A assessoria de comunicação do Corpo de Bombeiros informou que continua dando o apoio para a FAB nas buscas pelo rapaz. As atividades estão sendo realizadas na superfície do rio Negro, com dois mergulhadores.

Natural de SP

O tenente-aviador Gabriel Ferreira é natural de São Paulo e mora em Manaus há 15 meses. No perfil dele na rede social Facebook, o rapaz, que faz parte do efetivo da Ala 8 da Força Aérea Brasileira (FAB) em Manaus, registrou a mudança para o Amazonas em um post com a legenda “Welcome to the jungle”, que significa “bem vindo a selva" em português.

Publicidade
Publicidade