Publicidade
Manaus
Manaus

‘Há uma maneira mais eficiente e inteligente de se manifestar’ diz Fontes sobre protesto de PMs

Em protesto de policiais militares na noite de terça-feira (12), a equipe de A Crítica foi impedida de trabalhar, e chegou a ser agredida e ameaçada pelos PMs fardados e outros que estavam a paisana 13/05/2015 às 17:42
Show 1
Secretário de Segurança concedeu coletiva na tarde desta quarta-feira (13)
acritica.com Manaus (AM)

O Secretário de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), Sérgio Fontes, afirmou na tarde desta quarta-feira (13) que há maneiras mais eficientes e inteligentes de policiais militares se unirem e manifestar tanto sobre o caso da suposta ameaça ao cabo da PM, identificado como Getúlio, quanto sobre a prisão dos PMs acusados de agressão a três jovens, ocorrida na quarta-feira passada, dia 6.

Conforme Sérgio Fontes, as secretarias do Estado não concordam com as atitudes tomadas na noite desta terça-feira (12) por alguns policiais militares, durante um protesto realizado na rua São Francisco, comunidade Jesus me Deu, no bairro Colônia Terra Nova, Zona Norte.

Na ocasião, a equipe de A Crítica foi impedida de trabalhar, e chegou a ser agredida e ameaçada pelos PMs que estavam fardados e outros que estavam a paisana.

Segundo Fontes, a secretaria viu com pesar o protesto dos policiais militares realizado. Para ele, tanto a demonstração de apoio ao colega que está sendo ameaçado, quanto um eventual apoio aos colegas que foram presos acusados de agressão, não justifica a ação.

“Nós entendemos que existe uma maneira mais eficiente e inteligente de fazer isso através da busca dos órgãos competentes. Isso não é maneira correta de se fazer, tudo que foge da ilegalidade, não apoiamos de jeito nenhum”, destacou.

De acordo com o secretário, as imagens divulgadas sobre o protesto estão sendo estudadas, as pessoas que foram agredidas e a população está sendo ouvida, para que mais adiante possa ser feito uma avaliação para saber se houve crime militar ou se houve apenas um excesso reprovável por parte dos policiais.

“Isso ainda está sendo objeto de estudo, mas volto a dizer que esse tipo de ação é desnecessário. Não é necessário pro estado, a polícia mostrar essa força”, finalizou.

Se for comprovado que houve um crime militar, será garantida aos envolvidos uma defesa contraditória e responderão conforme o caso, administrativamente ou penalmente.

Publicidade
Publicidade