Publicidade
Manaus
Manaus

Haitiano morre em Unidade Básica de Saúde

Uma das dificuldades encontradas pelos familiares é que o Instituto Médico Legal não faz a remoção do corpo, por conta do caso e horário. 05/02/2013 às 02:48
Show 1
Testemunhas e familiares afirmaram que o paciente havia chegado à unidade pela manhã
Camila Pereira Manaus (AM)

O soldador Lucien Trehner, de 28 anos, morreu na noite desta segunda-feira (04), na Unidade Básica de Saúde Áugias Gadelha, localizado na rua A, Conjunto Ribeiro Júnior, Cidade Nova, Zona Norte de Manaus. De acordo com familiares, ele, que veio do Haiti e está em Manaus há cerca de um ano, procurou a UBS com problemas respiratórios. O laudo sobre a morte será divulgado nesta terça-feira (05) pelo IML.

Testemunhas e familiares afirmaram que o paciente havia chegado à unidade pela manhã. “Ele passou mal três vezes, pediu ajuda na recepção e disseram que todos que estavam ali estavam passando mal e que ele deveria esperar a vez. Na quarta, ele teve uma convulsão e morreu no chão da inalação e ficou lá por muito tempo”, relatou a dona de casa Sonayka Ferraz.

Outros acreditam que ele deveria ter sido encaminhado a outro hospital. “Houve omissão de socorro, porque ele estava aí desde cedo. Se não era o lugar dele ser atendido que ajudassem e chamassem o SAMU, mas foi tarde”, delatou a autônoma Nara Benchimol.

Primo do paciente, Carlens Sibera, disse que o Lucien tinha problemas respiratórios. “Hoje ele se queixou que estava com dificuldade de respirar, mas acho um absurdo ele ter esperado horas e ninguém ter tomado uma atitude de encaminhá-lo para onde houvesse atendimento”, desabafou.

UBS

A UBS funciona em dias da semana das 7h às 12h com atendimentos básicos como imunização, curativos, consultas com pediatras, clínicos gerais e ginecologistas. Não há estrutura para atender casos de urgência. A diretora do hospital, Francinara Lima, esclareceu que todos os cuidados que estavam nas condições da Unidade foram feitos. “Três médicos chegaram a atendê-lo. Fizemos o que estava ao nosso alcance naquele momento. Não temos o conhecimento de que ele tenha chegado pela manhã”, afirmou.

A Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Secretaria Municipal de Comunicação, informou que Lucien já deu entrada em crise, por volta das 19h, o Samu chegou a ser acionado e constatou o óbito. Na ficha do paciente consta que ele deu entrada com crise de asma.

“O que aconteceu com este usuário foi uma fatalidade. Aqui não é um local preparado para receber pacientes nesta situação. O que nos preocupa, agora, é a questão social. A família não tem recursos para levar para algum local”, falou a gerente do distrito de saúde norte, Kássia Veras.

IML

Outra dificuldade encontrada pelos familiares do haitiano é que o Instituto Médico Legal não faz a remoção do corpo, por conta do caso e horário. Apenas, a partir das 6h da manhã é que fazem este tipo de trabalho. O corpo de Lucien foi levado pelo SOS Funeral, por volta de 1h desta terça-feira (05), para o Ministério Apostólico Nascidos para Adorar, localizado também na Cidade Nova.

O caso foi registrado no 6º Distrito Integrado de Polícia.

Publicidade
Publicidade