Publicidade
Manaus
Manaus

Herbert Amazonas recorrerá da decisão do TRE-AM para não ficar de fora de eleição

Sindicalista pode ficar de fora da eleição do próximo ano porque, para o TRE, ele não prestou contas de campanha em 2014 30/09/2015 às 11:06
Show 1
Herbert não teria informado quem foram os doadores de R$ 3,2 mil à campanha
acritica.com ---

Com o risco de ser barrado na eleição municipal do próximo ano, o presidente estadual do PSTU, o sindicalista Herbert Amazonas, disse ontem que recorrerá da decisão tomada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), na segunda-feira, que julgou as contas de campanha dele de 2014 como tendo sido não prestadas.

“A advogada do PSTU vai ao TRE ver essa situação. Não houve irregularidade na nossa campanha. Na verdade, quem acompanha essa prestação de contas é um companheiro de partido. Houve varias mudanças nas regras do TSE. As outras organizações partidárias contam com um batalhão de advogados e contadores. Aqui, no PSTU, nós é que fazemos essa atividade. Vamos acompanhar mais de perto isso”, disse Herbert.

Candidato a governador na disputa eleitoral do ano passado, o sindicalista pode ficar de fora da eleição de prefeito se não regularizar sua situação com a Justiça Eleitoral. Isso porque quando as contas são consideradas não prestadas, o candidato não obtem a quitação eleitoral, uma das exigências para a aprovação do registro de candidatura. A corte toma essa decisão quando considera que falta algum documento essencial à confirmação do que o candidato declarou nas receitas e gastos.

No caso do candidato do PSTU, uma das irregularidades que levou a desconsideração de sua prestação contas foi o fato dele não ter informado quem são os doadores originais de R$ 3,2 mil. O setor técnico do TRE-AM pediu a Herbert que fizesse o acerto, ou seja, dissesse quem foram as pessoas físicas ou jurídicas que repassaram os recursos para a direção regional ou o comitê financeiro único do PSTU de modo que chegaram ao candidato. Mas as informações prestadas pela defesa dele não convenceram o tribunal.

Ontem, ao ser questionado se pretende disputar a prefeitura de Manaus, Amazonas afirmou que o PSTU vai tentar, de novo, formar uma chapa de consenso com o PCB e com o PSOL. “É preciso criar um polo alternativo ao PT e PSDB. Queremos formar uma frente de esquerda para o processo eleitoral do ano que vem. Para que possamos debater os problemas de Manaus. O nome da cabeça de chapa vai ser definido no debate. O PSTU não vai fazer nenhuma imposição de nomes. Seria importante também a gente tentar eleger, ao menos, um vereador”, disse.

No PCB, que não se coligou com o PSTU em 2014, a eventual candidatura de Luiz Navarro também está ameaçada. As contas dele foram julgadas como não prestadas e ele perdeu o prazo do recurso.

Mário Frota

As contas do vereador Mário Frota (PSDB) também foram julgadas, no dia 14 deste mês, como não prestadas por conta da ausência, segundo o TRE-AM, do extrato definitivo da conta-corrente de campanha. No dia 21, o parlamentar entrou com recurso.

Publicidade
Publicidade