Publicidade
Manaus
FEMINICÍDIO

Homem é condenado a 20 anos de prisão por matar a tiros a ex-esposa em Manaus

Mesmo separados havia dois meses, João Aragão, o “Baiano”, foi à casa da vítima com pretexto de conversar sobre pensão alimentícia da filha, mas matou a vítima 23/08/2018 às 15:38
Show violencia contra mulher 73ec9bc5 7fe8 46a4 ba2c 60be083f026c
Foto: Arquivo A Crítica
acritica.com

O Conselho de Sentença da 3ª Vara do Tribunal do Júri em Manaus condenou a 20 anos de prisão João Jesus Aragão Sobrinho, mais conhecido como “Baiano”, pelo crime de feminicídio qualificado, por ele matar a ex-esposa dele, Erica dos Santos Oliveira, no dia 5 de agosto de 2015, na rua Melo Gomes, bairro São Francisco, em Manaus.

A sessão, ocorrida na última terça-feira (21), foi pautada obedecendo a programação da 11ª edição da “Semana pela Paz em Casa”, campanha idealizada pelo Conselho Nacional de Justiça e que mobiliza tribunais de todo o País com o objetivo de punir e prevenir a violência doméstica contra a mulher.

João Jesus Aragão Sobrinho foi condenado a 20 anos de reclusão em regime fechado, depois que o Tribunal do Júri reconheceu a autoria e as qualificadoras – recurso que impossibilitou a defesa da vítima e também por configurar violência doméstica e familiar, o que qualifica o crime em razão do gênero. A vítima era ex-companheira do acusado. Eles estavam separados havia dois meses.

A sessão de Julgamento Popular foi presidida pelo juiz de Direito Eliezer Fernandes Júnior, com o Ministério Público do Estado do Amazonas sendo representado pelo promotor de justiça Rogério Marques Santos. O réu teve em sua defesa o advogado Francisco Felipe Leal Pereira.

O crime

Segundo consta no inquérito policial, o acusado, além de ter sido casado com a vítima, também era subordinado na empresa onde ambos trabalhavam.

Com a separação, ambos haviam se desentendido e não chegavam a um acordo em relação à pensão alimentícia da filha de 4 anos de idade. No dia do crime, conforme o inquérito, Baiano foi até a casa da vítima com pretexto de conversar sobre a pensão alimentícia da filha, porém, Erica foi surpreendida e morta com quatro tiros na cabeça.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade