Publicidade
Manaus
Manaus

Homem é encontrado morto em frente de obra onde trabalhava, com mais de 20 facadas

O corpo de Almir Lima de Souza, de 48 anos, foi encontrado por um pedreiro na calçada da avenida Joaquim Nabuco. "Colega" de Almir foi visto bêbado e sujo de sangue nas proximidades 28/03/2015 às 11:30
Show 1
O corpo foi encontrado nas primeiras horas deste sábado (28), jogado na calçada
Lívia Anselmo Manaus (AM)

O autônomo Almir Lima de Souza, 48, foi encontrado morto na manhã deste sábado (28) em uma calçada na avenida Joaquim Nabuco, no Centro de Manaus. Segundo o irmão da vítima, Francisco Lima, a perícia no corpo constatou que foram desferidos pelo menos 20 golpes de faca no corpo. 

O pedreiro, Alber Batista, 38, encontrou o corpo da vítima em uma calçada em frente a construção que ele trabalha. “Ele já estava morto quando eu cheguei”, contou. Por volta de 6h40 a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) foi acionada. 

Após a remoção do corpo, os familiares se dirigiram ao 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde foram informados sobre um homem, identificado como ‘Pezão’ que estava bêbado e sujo de sangue no Prosamim da Leonardo Malcher. De acordo com Francisco, o irmão costumava sair para beber acompanhado do suspeito. 

“Eles bebiam juntos. Meu irmão morava na Zona Norte, mas como eu morava aqui (no Centro), ele vinha para sair com esse pessoa, que consumia bebia alcoóicas junto com ele”, disse.

Os familiares de Almir dissera, ainda, que o autônomo só tinha vícios em bebidas alcoólicas e não vinha sendo ameaçado de morte. “Não temos ideia do que possa ter acontecido. Só temos essa pista porque ele estava sujo de sangue e as pessoas suspeitaram”, lembrou. 

Francisco ressaltou que ‘Pezão’, apontado como suspeito, é famoso na área por ser usuário de drogas, praticar roubos e furtos, e ser agressivo. 

‘Pezão’ foi encaminhado ao 1º DIP. Por estar muito bêbado, segundo a equipe de investigação da delegacia, o suspeito, até a manhã deste sábado, foi apenas detido.  ‘Pezão’ só será ouvido quando estiver consciente. 

O corpo foi removido para o Instituto Médico Legal (IML), a arma do crime não foi encontrada. A DEHS vai investigar o caso. 

Publicidade
Publicidade