Publicidade
Manaus
ATAQUE

Jovem é atacada com ácido sulfúrico no rosto em Manaus e ex-namorado é suspeito

Segundo a vítima, que perdeu a visão e ficou com rosto desfigurado, o ex-companheiro mandou jogarem a substância nela por não aceitar o fim do relacionamento 21/08/2018 às 11:13
Show acido m lher cd2a4e47 6b9a 4fed bbf2 359f70d4529a
A jovem de 21 anos entrou em depressão depois de ter o rosto desfigurado, além de braços e seios afetados (Foto: Reprodução/TVACrítica)
acritica.com* Manaus (AM)

Uma jovem de 21 anos em Manaus perdeu a visão e ficou com o rosto desfigurado após ter sido atacada com ácido sulfúrico no rosto. A vítima acusa o ex-namorado, identificado como Arlindo Oliveira da Silva, 51, de ser o mandante do ataque. Segundo ela, ele não aceitava o fim do relacionamento.

O caso, que está sendo investigado pela Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM), aconteceu em um motel de Manaus. A moça de 21 anos gostava de sair com as amigas aos fins de semana, mas as atividades de lazer não eram bem vistas pelo então companheiro. Por conta dos inúmeros problemas, ela decidiu colocar um ponto final no relacionamento. No entanto, ela continuou trocando mensagens com o ex-namorado.

Em reportagem para a TV A Crítica, a vítima contou que em uma dessas conversas os dois marcaram um encontro no motel. Os dois passaram aproximadamente duas horas dentro da suíte no estabelecimento, conversaram e tiveram relações sexuais. Apesar de tudo, a vítima decidiu não voltar com o ex-companheiro.

Na saída, a vítima e o ex começaram uma discussão. O que a mulher não sabia é que dois homens a aguardavam em via pública para praticar o crime. Um dos homens estava com um copo na mão contendo o ácido sulfúrico.

“A única coisa que lembro dele era que estava com uma camisa preta, calça jeans e um tênis branco. Ele estava com um copo com um líquido amarelo na mão. Imaginei que estivesse tomando whisky ou cerveja, alguma coisa do tipo, pelo jeito que ele estava arrumado. Quando fui chegando perto dele, ele deu um passo e jogou no meu rosto, sem falar nada”, relatou  a jovem.

A vítima também relata que quase teve a vida ceifada pelo ex-companheiro. “Meu rosto estava se desfazendo todo. Até porque, a minha blusa começou a derreter toda e só sentia meu rosto ardendo. Eu gritava, gritava, de dor mesmo, gritava no meio da rua dizendo que ia morrer”, contou a mulher, acrescentando que após ter o ácido jogado em seu rosto, escutou uma declaração de Arlindo. “Ele disse na hora: O que é isso rapaz. Depois não falou mais nada”, lembrou. 

Suspeitas

Por conta da gravidade do caso, a mulher foi socorrida e ficou internada durante um mês no Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, localizado na Zona Centro-Sul de Manaus. Na unidade hospitalar, a vítima começou a receber ameaças do ex-companheiro e desconfiar que ele era o mandante do crime.

O suspeito até tentou visitar a vítima no hospital, mas foi impedido pela diretoria do Hospital 28 de Agosto. “Eu proibi a entrada dele, mandei uma carta para a diretoria do hospital e ela proibiu a entrada dele. Quando foi na quinta, recebi várias mensagens pelo celular. Mensagens me ameaçando e falando que tinha me avisado sobre o que ia acontecer. Não sei ao certo o que tinha nas mensagens, porque quem leu foi a diretora do hospital. Quando soube das palavras percebi que tinha sido ele”, afirmou.

Depois de receber alta, a moça resolveu se esconder na casa de familiares. Traumatizada, ela acreditava que a qualquer momento iria ser morta pelo suspeito. “Tenho saudade de ler um livro, de brincar com os meus sobrinhos, até porque a mãe deles faleceu. Eu entrei em depressão, fiquei com síndrome do pânico. Não tinha vontade de comer”, completou.

Investigações

De acordo com entrevista à TV A Crítica, a delegada Débora Mafra, titular da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM), disse Arlindo está desaparecido desde o crime. “Estamos procurando o Arlindo. Estamos procurando testemunhas do fato, porque a vítima alega e tem suspeitas profundas que ele foi o mandante do rapaz desconhecido que jogou o ácido no rosto dela. Não podemos deixar um caso deste impune”, destacou.

A delegada também informou que testemunhas do caso serão ouvidas nos próximos dias. “Tudo leva a crer que o Arlindo é o autor do fato”, finalizou a titular da DECCM.

*Com informações da TV A Crítica

Publicidade
Publicidade