Publicidade
Manaus
JUSTIÇA

Homem que matou idosa com três tiros é condenado a 18 anos de prisão

Mulher de 64 anos foi morto porque Bruno Marques dos Santos, 21, achava que ela estava denunciando traficantes do Jorge Teixeira 13/10/2016 às 18:12
Show tjam1
Julgamento ocorreu nesta quinta-feira, no Fórum Henoch Reis (Foto: Divulgação)
acritica.com* Manaus (AM)

A 2ª Vara do Tribunal do Júri, do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), condenou nesta quinta-feira (13), Bruno Marques dos Santos, 21 anos – mais conhecido como Bruninho –, pelo homicídio da comerciante Francisca Alves de Oliveira, crime ocorrido em 16 de maio de 2014, no bairro Jorge Teixeira, zona Leste de Manaus.

Bruninho foi condenado a 18 anos, 10 meses e 10 dias de prisão em regime fechado por homicídio duplamente qualificado. De acordo com o inquérito conduzido pela Delegacia de Homicídios, Bruninho teria ido ao comércio de Francisca Oliveira e desferido três tiros que acertaram a nuca da vítima.

Segundo a polícia, a motivação do crime foi que a comerciante teria denunciado o tráfico de drogas na região do seu estabelecimento. Antes de atirar em Francisca, Bruninho teria questionado da vítima se era ela que estava "entregando" os traficantes da rua. Logo em seguida, a vítima, que falava ao telefone, virou de costas e recebeu os tiros.

De acordo com o promotor Edinaldo Medeiros, o réu tem passagens pela polícia e, inclusive, já estava preso. "Ele é extremamente perigoso, tanto que uma testemunha prestou seu depoimento com proteção e sem mostrar o rosto. O Ministério Público está satisfeito com a condenação”, afirmou o promotor.

Assim que terminou o julgamento, a defesa do réu avisou que vai recorrer da dosimetria da pena. A sentença era superior a 19 anos, mas, como Bruninho era menor de 21 anos quando cometeu o crime, teve um abatimento de três meses. Ele vai continuar preso em regime fechado.

O júri foi presidido pelo juiz titular da 2ª Vara do Tribunal do Júri, Anésio Rocha Pinheiro. Atuou pelo Ministério Público Estadual, o promotor de Justiça Edinaldo Medeiros.

*Com informações de assessoria

Publicidade
Publicidade