Publicidade
Manaus
Manaus

Homem se disfarça de deficiente e rouba empresa em Manaus

As imagens de câmaras de segurança flagram a ação de uma dupla de criminosos, que agiu de cara limpa e fugiu levando R$ 15 mil. Um dos bandidos entrou de muletas e, depois, sacou a arma 26/03/2013 às 11:43
Show 1
Clientes foram rendidos e dinheiro levado em dois minutos
Náferson cruz ---

Menos de dois minutos foi o tempo suficiente para que dois homens ainda não identificados praticassem um assalto na empresa Expresso M. Santos, correspondente da agência do Bradesco, localizada na avenida Silves, bairro Cachoeirinha, Zona Sul.

A dupla de criminosos agiu de cara limpa e saiu do local levando a quantia de R$ 15 mil. As imagens do circuito integrado do estabelecimento flagram o momento quando um dos assaltantes chega ao local se passando por deficiente físico, usando duas muletas. Em seguida, ele se desfaz das muletas e saca um revólver, anunciando o assalto. Enquanto isso, outro criminoso dá cobertura a ele, do lado de fora. Segundo funcionários do estabelecimento, os assaltantes renderam cinco pessoas, três funcionários e dois clientes, além do filho da proprietária do local.


Após retirarem todo o dinheiro dos caixas, os assaltantes pediram paras as vítimas se levantarem e entrarem no banheiro, onde foram trancadas.

Ação foi presenciada por um taxista que estava do lado de fora e acionou uma viatura do Ronda no Bairro. Mas, antes que a polícia chegasse, os assaltantes deixaram o local.

Foragidos

A proprietária do estabelecimento, Sônia Santos, 44, disse que os assaltantes agiram com violência e ainda chegaram a dizer que eram foragidos do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj). “Ele pediram para todo mundo deitar no chão, mas mesmo assim agrediram os clientes e funcionários com chutes. Eles gritavam a todo instante e ameaçavam a todos de morte e disseram que eram perigosos, pois eram foragidos do Compaj”, contou Sônia Santos.

O caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD). O delegado titular, Orlando Amaral, já solicitou as imagens do vídeo para serem analisadas.

Publicidade
Publicidade