Publicidade
Manaus
Manaus

Ibama reúne órgãos para falar sobre ações de prevenção a acidentes ambientais

Uma das principais preocupações, atualmente,  é com o derramamento de óleo no rio Negro, pelos empreendimentos que atuam no setor portuário e transporte de combustíveis 01/09/2015 às 20:59
Show 1
Empresas que atuam no seguimento portuário e órgão de proteção ambiental terão que saber como lidar com os danos ambientais.
Kelly Melo ---

Representantes do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Semma), Corpo de Bombeiros e Agência Nacional de Petróleo (ANP) participaram, ontem, da primeira reunião para a implementação do “Plano de Área Portuária de Manaus”, que visa elencar uma série de ações  não só para a prevenir como também para dar um rápido atendimento a acidentes ambientais. O encontro foi realizado na sede do Ipaam, no Parque 10, na Zona Centro-Sul.  

De acordo com o Chefe da  Divisão Técnica do Ibama, Geandro Guerreiro Pantoja, uma das principais preocupações, atualmente,  é com o derramamento de óleo no rio Negro, pelos empreendimentos que atuam no setor portuário e transporte de combustíveis. Só no passado, foram registrados seis ocorrências de explosões ou derramamento de óleo no rio, o que foi considerado acima da média.

“Geralmente, nós registramos dois ou três casos ao ano, no máximo quatro ocorrências. Mas ano passado tivemos um aumento, o que demonstra a urgência de termos esse plano, pois o risco de acidente é grande e envolve não só o meio ambiente, mas a vida humana”, destacou Pantoja.

Na próxima quinta-feira, uma nova reunião será realizada com as empresas que atuam no seguimento portuário. A ideia é abranger os empreendimentos que atuam desde a orla do São Raimundo, na Zona Oeste, até o Mauazinho, na Zona Leste, para debater a implantação do Plano que consiste em unificar as ações previstas no “Planos Emergências Individuais” (PEIs) de cada uma dessas organizações.

“Nem todas as empresas possuem o PEI e o Ipaam já está fazendo esse levantamento. A ideia é que essa unificação possa prevenir acidentes e dar respostas mais rápidas quando um acidente ocorrer,  principalmente se for relacionado a derramamento de óleo. Além disso, são as empresas que vão executar o planejamento e nós vamos fiscalizar o cumprimento dessas ações”, afirmou Pantoja.

A próxima reunião vai ser realizada no auditório da Superintendência da Zona Franca (Suframa), no Distrito Industrial, amanhã, a partir das 14h.



Publicidade
Publicidade