Publicidade
Manaus
MEDIDA

Idaam tem 21 alunos que não concluíram o Ensino Médio aprovados no PSI

O Processo Seletivo para o Interior (PSI), cujo as provas foram aplicadas nos dias 24 e 25 de junho, é uma das formas de ingresso na Ufam 13/07/2018 às 19:25 - Atualizado em 14/07/2018 às 10:03
Show vestibular
Fotos: Reprodução/ Divulgação
Joana Queiroz Manaus (AM)

“Meu Deus, eu passei!”. Essa foi a reação da jovem Mayara Lima e Silva, 17, estudante do 3º ano do Ensino Médio do Idaam após saber que foi aprovada no Processo Seletivo para o Interior (PSI) e ganhou uma das vagas para cursar Medicina no campi de Coari da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). O resultado da seleção foi divulgado nesta sexta-feira (13).

Mayara é um dos 21 alunos das escolas Idaam aprovados no PSI e que ainda não concluíram o Ensino Médio. Ao todo, 24 dos cerca de 40 estudantes da rede de colégios que se inscreveram no Processo foram aprovados.

O PSI, cujas provas foram aplicadas nos dias 24 e 25 de junho, é uma das formas de ingresso na Ufam, criada para oferecer vagas nos cursos de graduação das Unidades Acadêmicas do interior do Estado. Nesta edição foram disponibilizadas 537 vagas.

Quatro das sete vagas para Medicina na modalidade Ampla Concorrência foram conquistadas por alunos do Idaam, sendo três delas por adolescentes que ainda não concluíram o Ensino Médio.

“É a consagração da escola. Porque todo o projeto do ensino médio Idaam tem como foco a aprovação nas universidades públicas do Brasil, buscando o sonho dos alunos. Não é ser medicina, é que os que passaram em medicina sonham com a medicina”, comenta Ludmylla Gonçalves, diretora escolar e especialista em processos seletivos do Idaam.

Resultado

Segundo Mayara, a aprovação para Medicina sem a conclusão do Ensino Médio foi gratificante.

“Quando eu fiz a prova, tiveram muitas questões que eu e meus amigos não sabíamos, porque ainda não tínhamos chegado naquele conteúdo na escola. Isso fez com que eu e meu amigo Socrates (também aprovado) pensássemos que não iríamos passar. Foi muito gratificante, ver que o esforço está dando certo. Eu achei a prova um pouco difícil e mesmo assim consegui passar, o que faz tudo valer a pena”, conta a estudante, que também comentou sobre sua preparação para a prova.

“No vestibular cai todos os assuntos e o Idaam dá esse suporte. Eles ajudam muito. A escola é incrível e, agora, também com o ensino integral a gente está conseguindo revisar bastante o conteúdo do 1º e do 2º ano. Eu tentei revisar tudo, que eu já tinha estudado, mas não estudei as coisas além do que a escola já tinha dado para ver como ficava a prova”, afirma Mayara.

Um dos diferenciais da preparação no Idaam para os vestibulares, segundo a estudante, é o ensino semi-integral no 3º ano do Ensino Médio, em que, três dias por semana, os alunos entram para as aulas pela manhã e saem no final da tarde. Além disso, os alunos fazem dois simulados obrigatórios por bimestre e contam com laboratório de redação.

De acordo com a diretora Ludmylla, os jovens aprovados ainda vão definir se assumem as vagas conquistadas no PSI. “Para nós, o resultado é importante não só no quantitativo de vagas que conquistamos, mas porque mostra aos alunos, mesmo com a concorrência, a força que tem o projeto da escola na preparação deles para os vestibulares”, avalia.

Publicidade
Publicidade