Publicidade
Manaus
PAIXÃO ANIMAL

Idosa enfrenta viagem de barco e caminhão para não abandonar cães em Manaus

Leninha, 62, está voltando para terra natal, no Piauí, após anos na capital amazonense. Ela precisa de ajuda financeira para chegar ao destino 25/05/2017 às 15:05 - Atualizado em 25/05/2017 às 15:58
Show 1495738995291235
Foto: Divulgação
Vinicius Leal Manaus (AM)

O amor por cinco cachorros de estimação e a vontade de retornar para a terra natal é o que dá forças para a aposentada Leninha Carvalho, de 62 anos. Ela vem passando sufoco e enfrentando fome, sono e sede junto aos seus cinco animais durante uma viagem de barco e dentro de um baú de caminhão entre Manaus até a cidade de Parnaíba, no interior do estado do Piauí, no Nordeste brasileiro.

Devido a um tratamento de saúde, a aposentada precisou se mudar da capital amazonense e retornar para onde nasceu para ficar mais perto da família. Porém, imprevistos a fizeram ficar sem dinheiro e passar dificuldades. Leninha foi enganada por uma mulher de Manaus que comprou os eletrodomésticos e móveis dela, mas não depositou a quantia devida na conta bancária. O resultado? A aposentada ficou desamparada no meio da viagem.

“Eu não abandono eles (os cachorros) por nada. Então fui de barco com eles até Belém (PA), cinco dias de viagem. Até aí estava tudo bem”, disse Leninha, por telefone. Entretanto, surgiu o problema. “Quando cheguei na rodoviária para seguir viagem, disseram que eu não podia levar os cachorros, porque não tinha vaga para eles no bagageiro devido à ventilação, e as caixas deles eram grandes”, explicou. A solução foi continuar o trajeto dentro de um caminhão baú.

Vítima de calote

“Conheci esse caminhoneiro pela OLX (loja de classificados online). Ele cobrou R$ 700 para me levar de Ananindeua (PA) até o destino final. O metro quadrado (de bagagem) é R$ 900, mas ele fez para mim esse preço porque gosta de animais também”, disse Leninha. Porém, a aposentada não imaginava levar um calote. “Cheguei aqui e não tinha nenhum centavo na minha conta. Como usei todo o dinheiro na viagem de barco, eu esperava que a mulher de Manaus me pagasse, mas não me pagou”, disse.

Segundo a aposentada, devido ao golpe, ela pediu ajuda de pessoas em Manaus. “Eu vendi máquina de lavar, cama, guarda-roupa seis portas, sofá e armário de cozinha para essa mulher, mas ela não pagou. Uma amiga minha foi lá na casa dela pegar as coisas de volta, mas ela só devolveu a metade e ainda deu uma máquina de lavar velha. Agora estou dependendo de doações. Já recebi ajuda de R$ 130, mas ainda não é o suficiente”, explicou.

À mercê da sorte

Sem dinheiro, a aposentada não conseguiu pagar o caminhoneiro e ficou sozinha na beira de uma estrada no Estado do Maranhão, junto aos cachorros. “Ele (caminhoneiro) resolveu me trazer de Ananindeua até o Maranhão, mas ele tem que deixar uma carga em São Luís (MA) e depois em Fortaleza (CE), mas antes (de Fortaleza) me deixaria na porta de casa. Porém, sem dinheiro não faria, porque tinha que pelo menos abastecer com combustível”, disse Leninha.

De acordo com a aposentada, ela tem até esta quinta-feira (25) para conseguir a quantia e seguir a viagem no caminhão baú. “Ele (caminhoneiro) vai descarregar essa carga em São Luís e volta aqui para me pegar se tiver o dinheiro na conta. Se não tiver, vou ficar aqui sem nada. Estou no Km 50 da estrada, em frente a um posto de gasolina e debaixo de uma árvore”, contou Leninha, com apenas 1% de bateria no celular.

Quem quiser ajudar a aposentada Leninha Carvalho pode transferir qualquer quantia para a conta dela na Caixa Econômica – conta de número 00006022-6, agência número 2853 e operação 001, sob o nome Jesus Lene Silva Carvalho. O telefone dela é o (92) 99265-5189. “Por favor, me ajudem. Nem que quando eu receber, eu devolva minha aposentadoria. Aqui é tudo muito caro. R$ 17 é um prato de comida”, lamentou a aposentada.

Publicidade
Publicidade