Terça-feira, 21 de Maio de 2019
IMPACTO

Ifam vai refazer planejamento de obras após ter R$ 26,6 milhões bloqueados

Medida tomada pelo MEC também pode afetar o transporte de alunos, a manutenção de prédios e os investimentos na capacitação de servidores



ifam_BAA9DF25-610F-4F6A-A105-1CF48883EC57.jpg
Foto: Reprodução/Internet
08/05/2019 às 18:49

O bloqueio de 30% nos orçamentos das universidades e institutos federais de ensino anunciado pelo Governo Federal cortou R$ 26,6 milhões da verba do Instituto Federal do Amazonas (Ifam). O impacto da medida tomada pelo Ministério da Educação (MEC) nos cofres do Ifam foi divulgado pela reitoria nessa terça-feira (7).

Em nota oficial publicada no site, a reitoria afirma que, do valor bloqueado, R$ 17,6 milhões seriam utilizados para a continuidade de serviços terceirizados, incluindo a manutenção predial, limpeza e conservação, vigilância, energia, água, transportes de alunos, fiscalização de obras, telefonia, internet e aquisições de materiais de consumo. O montante, que corresponde a 38,78% da verba de custeio do Instituto, também seria revertido em apoio a editais de pesquisa e extensão.

Já a capacitação teve um contingenciamento de 30% da verba da área, compreendendo R$ 397,8 mil. A perda afeta iniciativas voltadas ao treinamento de servidores, como custeio de eventos, pagamento de passagens e diárias aos servidores quando em viagem para capacitação e taxa de inscrição em cursos, seminários e congressos.

“Além do bloqueio dos recursos de investimento das Ações 20RL e 20RG (custeio e investimento), houve ainda bloqueio no valor de R$ 2.163.000,00 referente à Emenda Parlamentar de Bancada-RP 7, equivalente a 21,63%, o que levará o IFAM refazer o planejamento de obras e aquisições de material permanente”, finaliza a nota.

Desbloqueio

Ainda na terça-feira, durante uma reunião no Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), em Brasília, o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (MEC), Ariosto Antunes Culau, falou que o bloqueio dos 30% no orçamento foi uma medida preventiva e de adequação à política econômica do governo.

“Com certeza foi o maior contingenciamento em termos percentuais dos últimos anos. Temos consciência disso, porém já conversei com o ministro Abraham Weintraub para buscarmos uma recomposição dos valores junto ao presidente da República. O que posso afirmar é que nada é definitivo”, declarou.

Ufam

A decisão também afetou a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), que teve corte de R$ 38 milhões. O valor vai atingir principalmente as atividades de custeio da instituição de ensino como o pagamento de água, luz, telefone, empresas e funcionários terceirizados.

Se até o final do primeiro semestre deste ano esses recursos não forem desbloqueados, o tradicional Programa de Iniciação Científica (PIBIC), com a concessão de bolsas para os pesquisadores universitários, por exemplo, deverá ser suspenso.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.