Domingo, 26 de Janeiro de 2020
Manaus

Igarapé do Mestre Chico em estado de abandono

Governo tomou empréstimos que ainda está pagando para transformar a paisagem, mas projeto está abandonado



1.jpg Tapete de sujeira do igarapé do Metre Chico, no Centro, contrasta com histórica ponte da avenida 7de Setembro
14/08/2013 às 08:36

Os urubus estão entre os visitantes mais frequentes do Igarapé do Mestre Chico, parque localizado na rua Ramos Ferreira, Centro de Manaus. O lugar foi um dos escolhidos para participar do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim), mas hoje tem características de um lixão ao céu aberto.

“O problema daqui é a consequência de uma série de fatores. Tem o descaso do Governo em preservar isso aqui mais a falta de educação das pessoas. O resultado é isso, um lugar que tinha tudo para ser bonito com esse lixo todo e o fedor insuportável”, disse a auxiliar de administração, Maria Elizabeth Nunes, 57.



Maria Elizabeth é uma das frequentadoras do parque que circunda o igarapé do Mestre Chico. Ela conta que só passa pelo local porque é extremamente necessário. “Sou obrigada a passar aqui porque minha mãe mora aqui ao lado. Mas não é possível transitar aqui à noite, por exemplo. É muito perigoso porque é abandonado”, afirmou.

A insatisfação é compartilhada pelo mecânico Adalberto Vale, 60. Ele sugere o descaso do poder público como o principal motivo para a manutenção da sujeira do igarapé.

“Isso aqui é uma vergonha. Estamos prestes a receber turistas para a Copa de 2014 e um igarapé, no Centro da cidade, está nessa situação. O Governo gastou milhões para deixar isso pronto e agora abandonou”, disse Adalberto.

O Largo do Mestre Chico está agora abandonado e recebe pouca visitação do público. Os banheiros estão depredados e as placas de identificação quebradas. “Isso é um exemplo de que as pessoas não sentem mais vontade de vir para cá”, afirmou o mecânico.

Do outro lado da cidade, no Prosamim 13 de Maio, no bairro Colônia Oliveira Machado, Zona Centro-Sul, o igarapé homônimo sofre do mesmo mal.

Com a diminuição do nível das águas do igarapé o lixo se tornou mais evidente e o mau cheiro invadiu as vias mais próximas.

Ao lado da área reservada para a circulação das pessoas é comum encontrar garrafas PET, resto de eletrodomésticos, embalagens de alimentos e até mesmo frutas estragadas boiando junto ao igarapé poluído.

Não há lixeiras próximas e agentes do serviço de limpeza pública nem agentes de segurança foram vistos nos dois locais.

‘Limpeza está em dia’, diz secretaria
A Secretaria da Região Metropolitana de Manaus (SRMM), responsável pela limpeza dos igarapés que passam por dentro de Prosamim, informou que a limpeza do igarapé do Mestre Chico está dentro do cronograma da secretaria e deve ocorrer nas próximas três semanas. Segundo informou a assessoria da SRMM, o igarapé será o segundo a participar do ciclo de limpeza previsto pela secretaria, o primeiro está sendo o Igarapé do 40.

A ação de limpeza dos igarapés ocorre a cada dois meses, segundo informou a secretaria. Não foi informado o número exato das vezes que os locais recebem a equipe de limpeza.

A assessoria do Prosamim informou que a manutenção do igarapé 13 de Maio é de responsabilidade da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra). Até o fechamento desta página, às 16h30, não recebemos dados sobre o processo de limpeza deste igarapé.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.