Domingo, 22 de Setembro de 2019
Manaus

Ilha Pet será construída na orla de Manaus

Projeto idealizado por amazonense entra na segunda fase com evento que faz parte da Semana Global de Empreendedorismo



1.jpg O ambientalista Rulian Holanda diz que existem hoje 200 soluções diferenciadas para destinação final das garrafas Pet
17/11/2012 às 10:45

O projeto Ilha Pet, lançado em 2011, entra em sua segunda fase a partir de hoje com a separação das garrafas recolhidas e a efetiva construção da ilha que vai funcionar, de forma itinerante, pela orla de Manaus. O objetivo é agregar, em um único espaço, cultura, entretenimento e educação ambiental, segundo o ambientalista Rulian Holanda, idealizador do projeto.

 Durante todo o dia de hoje, voluntários cadastrados vão fazer a triagem das garrafas que serão utilizadas no projeto, separando os rótulos e tirando os resíduos, em meio a uma programação musical que inclui oito Dj’s e cinco bandas.

O evento que acontecerá das 9h às 17h na avenida Senador Raimundo Parente, nº 100, ao lado da entrada lateral do Clube Municipal, é aberto à comunidade. Para entrar, basta levar cinco garrafas Pet. Universitários dos cursos de arquitetura, engenharia, administração, direito e biologia que participarão do evento terão a carga horária contabilizada como crédito para a faculdade.

Segundo Rulian, durante a primeira fase do projeto, foram arrecadadas 200 mil garrafas Pet. As que estiverem amassadas ou furadas, serão destinadas à fabricação de telhas.

“O Brasil produz, hoje, mais de 10 bilhões de garrafas Pet por ano, sendo que 55% delas acabam poluindo diretamente os rios e o solo. Esse material leva até 400 anos para se decompor. Por que não dar utilidade a ele sendo que existem hoje mais de 200 soluções para sua destinação?”, indaga Rulian.

Ainda na primeira fase, o projeto conseguiu cadastrar 500 voluntários e distribuir 100 mil mudas de plantas, além de estabelecer 50 parcerias. “Nosso objetivo é, acima de tudo, levar a conscientização ambiental até as pessoas”.

“Meu plano é que a cada três meses a ilha vá para algum lugar de Manaus, para que todos tenham oportunidade de conhecê-la”. No local haverá oficinas e worshops sobre o reaproveitamento do material.

A ideia é construir, entre outras coisas, um auditório com capacidade para 110 pessoas sentadas em poltronas também de PET. A previsão de funcionamento da ilha é para o primeiro semestre de 2013.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.