Sábado, 14 de Dezembro de 2019
MORTES NO CRESPO

IML identifica corpos de 10 homens mortos durante confronto com a PM

Um confronto no bairro, na noite de ontem (29) e madrugada desta quarta (30), resultou em 17 mortes no bairro Crespo. Nomes só serão divulgados após famílias serem comunicadas, segundo o IML



show_pm_97C9F712-2AAB-4323-A2C9-38D3CE1FBF79.jpg
30/10/2019 às 17:53

Até as 17h40 desta quarta-feira (30), o Instituto Médico Legal (IML) identificou os corpos de dez homens que morreram durante confronto com policiais militares no bairro Crespo, na Zona Sul de Manaus. Ao todo, 17 suspeitos de tráfico de drogas morreram na ação. Os nomes só serão divulgados à medida que as famílias forem comunicadas, segundo o IML.

Ao longo do dia, familiares e representantes de 15 dos envolvidos na ocorrência foram entrevistados pelo serviço psicossocial do IML e trouxeram documentos de identificação das pessoas. Os mortos foram identificados por meio de coleta necropapiloscópica.



Por meio de nota divulgada nesta tarde, o IML informou que trabalha para dar celeridade na liberação dos laudos necroscópicos.

Familiares aguardam notícias

Desde a manhã desta quarta-feira (30), familiares de jovens que estariam envolvidos no tiroteio do Crespo aguardam a lista com os nomes dos dezessete corpos conduzidos ao Instituto Médico Legal (IML), Zona Norte de Manaus.

O decorador Israel Souza, 44, reconheceu o cadáver do sobrinho, Vinicius Eduardo Silva, 21, em uma foto enviada no Whatsapp por um funcionário do IML. O rapaz foi atingido com um tiro no rosto. "Ele tentou se entregar à polícia, mas acabou morto com outras duas pessoas", relatou.

A doméstica Ednete da Silva Lucas, 44, chegou por volta das 7h para verificar se o corpo do filho Learcio Lucas de Oliveira, 21, estava no local. "Ele entrou em contato com a esposa pela última vez às 2h. Ela me ligou bastante assustada. De manhã, foi ao 28 de Agosto e depois seguimos para cá", disse.

Moradora do beco JB Silva, um dos locais onde ocorreu a troca de tiros, Ednete contou que o filho começou a se envolver com roubos e tráfico de drogas aos 15 anos. "Ele dizia para a esposa que ia desistir do crime e começar a trabalhar, mas sempre tem alguém que puxa para o outro lado", afirmou.

A doméstica não soube informar se Learcio integrava alguma facção criminosa. "Era um rapaz muito fechado", contou.

A técnica de enfermagem Leila Oliveira, 40, também esperava desde cedo informações sobre o filho Lucas da Costa Oliveira, 21, desaparecido desde a madrugada de hoje. "Uma assistente social do IML avisou que estão fazendo a lavagem dos corpos para tirar a foto dos cadáveres. Já fizemos o registro do nome das vítimas", disse ela, ao contar que o rapaz tinha passagem pela polícia por tráfico de drogas.

>>>Leia mais: 'Polícia não mata, intervém tecnicamente', diz secretário da SSP sobre mortes em confronto

Entenda o caso

Na noite de terça (29) e madrugada desta quarta-feira (30), equipes policiais interceptaram um grupo de traficantes da facção criminosa Família do Norte (FDN), que planejava matar membros do Comando Vermelho na Zona Sul de Manaus, para controlar bocas de fumo administradas pelos rivais. Na ocasião, 17 suspeitos morreram durante confronto com a PM. Nenhum policial ficou ferido na ocorrência.

A Polícia Militar continua operação nos bairros da Zona Sul da capital para prender outros suspeitos de envolvimento no conflito, que teria sido organizado pelo traficante Bruno Santos de Lira, conhecido como "Bruno Surfistinho". Segundo informações que o A CRÍTICA teve acesso, Bruno saiu da cadeia há duas semanas com a "missão" de organizar os comparsas para retomar áreas do tráfico de drogas pertencentes ao CV, segundo Inteligência.

*Colaborou Daniel Amorim, de A Crítica

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.