Publicidade
Manaus
Manaus

Imprudência na travessia de pedestres na ‘faixa azul’ causa mortes em Manaus

Em menos de um mês duas mortes foram registradas na Constantino Nery. Manaustrans estuda reduzir a velocidade de 60 Km/h 12/03/2015 às 14:52
Show 1
Pedestres se arriscam a poucos metros da faixa exclusiva a eles. Acidentes na faixa já mataram duas pessoas e Manaustrans estuda reduzir a velocidade permitida
lívia anselmo ---

Desde que foi implantada, a ‘faixa azul’ do Bus Rapid System (BRS) da avenida Constantino Nery,  Zona Centro-Sul, quatro atropelamentos foram registrados, dois deles com vítimas fatais. O sistema ainda não completou um mês em execução, mas o diretor-presidente do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans), Paulo Henrique Martins, informou, por meio de sua assessoria, que o órgão elabora um estudo para a redução de velocidade na pista, que hoje é de 60 km/h.  O instituto não entrou em detalhes sobre o assunto.

O problema não é só a alta velocidade dos motoristas que utilizam a faixa exclusiva para ônibus, ambulâncias e viaturas, mas a imprudência dos pedestres ao se arriscarem sem atenção e, muitas vezes, atravessam a via a poucos metros da faixa de pedestre.

A autônoma Deliã Miranda da Silva, 43, vende frutas no cruzamento das avenidas  Constantino Nery com a Pedro Teixeira.  O trecho possui unidades de saúde e centros comerciais movimentados e é um dos mais utilizados pelos que ignoram a faixa, segundo ela. “Tem a faixa no cruzamento, mas parece que as pessoas preferem mesmo o risco”, lembrou.

O microempresário Vanderlei Almeida, 29, trabalha em um escritório de frente para a avenida. “Quem vem nessa faixa é mais rápido e as pessoas não estão prestando atenção nisso”, enfatizou. O diretor-presidente da Superintendência Municipal de Transportes (SMTU), Pedro Carvalho, lembrou que o problema não é só na avenida, mas em toda a cidade. “Infelizmente é algo que atinge toda a cidade. Colocamos faixa, passarela, mas não adianta”, ressaltou.

Em relação à faixa-azul,  segundo Pedro Carvalho, estão sendo realizadas campanhas de conscientização do pedestre sobre a preferência pela faixa e meios seguros de travessia. “O que nós queremos destacar é que não é a faixa azul que está matando, porque acidentes na Constantino já existiam”, explicou.

Mortes

No dia 3 de março, o médico urologista João Leandro de Oliveira, 69, morreu na tarde de ontem ao tentar atravessar a faixa azul da avenida Constantino Nery, bairro São Geraldo, zona Centro-Sul. Ele foi atropelado por um táxi, Fiat Idea de placas OAA-6768.

Oriovaldo Trindade de Oliveira, 59 anos, também foi atropelado por um ônibus articulado do sistema na faixa azul da avenida na manhã de sábado do último sábado.  Ele tentava atravessar a via, mas foi atingido pelo coletivo da linha 560, da empresa Eucatur.

Sistema chega na Mário Ypiranga

Até abril, a ‘Faixa Azul’  semi-exclusiva para ônibus do transporte coletivo será implantada na avenida Mário Ypiranga Monteiro, Adrianópolis, Zona Sul.  Os motoristas estão recebendo orientações para se adaptar ao novo sistema que será implantado, segundo informou o diretor-presidente da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Pedro Carvalho.

Publicidade
Publicidade