Segunda-feira, 18 de Novembro de 2019
NÃO CONVENCEU

Inaugurada em agosto, parada de ônibus de luxo da Ponta Negra apresenta problemas

Com o custo total superior a R$ 200 mil, a parada já apresenta problemas como telhado com infiltração, buracos no asfalto, e 'wi-fi' sem acesso à internet



ParadaOnibus_C9DA70AA-E4AA-4F9E-96DF-EE6068013695.JPG Foto: Clóvis Miranda
15/10/2019 às 07:57

A parada de ônibus que custou R$ 207,3 mil aos cofres públicos e que foi inaugurada há exatos 60 dias no Complexo Turístico da Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus, já apresenta problemas. Durante o temporal do último domingo (13), internautas denunciaram por meio de vídeos e fotos que o teto do local estava com vazamentos de água, dificultando o abrigo de crianças e adultos durante a chuva. Além disso, a equipe do jornal A CRITICA esteve ontem no local e constatou outro problema: um enorme buraco no asfalto do recuo da parada, local onde os ônibus param para que os passageiros acessem o veículo.
A prefeitura informou que o buraco foi causado pela alta trafegabilidade de ônibus no local, e que a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) já foi acionada para os devidos reparos.  

Prefeitura nega

Sobre o vazamento no telhado da parada, a prefeitura se posicionou por meio de nota informando que a parada que apresentou problemas, no último domingo, não foi a nova e sim um outro ponto de ônibus, também construído no Complexo Turístico da Ponta Negra, só que no ano de 2011.

“O vídeo não é na nova estação de ônibus, como está circulando erroneamente. A empresa responsável por manutenção e logística no complexo e o setor de engenharia do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb) foram acionados para fazer inspeção e reparo nesta parada”, informou a nota que ainda ressalta que a nova “estação” de transporte coletivo também passará por uma inspeção. 

“(...) a empresa construtora foi devidamente notificada a realizar inspeção e qualquer reparo necessário no sistema de escoamento e canalização de águas de chuva, para evitar vazamentos futuros diante das fortes precipitações que ocorreram na cidade. A Prefeitura ressalta que a obra foi devidamente licitada e a empresa vencedora tem responsabilidades no pós-obra, contando com a devida vistoria da engenharia do Implurb”, finalizou a nota.



Vereador muda versão

A reportagem também entrou em contato com o vereador Gilvandro Mota (PTC), que além de ser vice-líder do prefeito Arthur, também é presidente da Comissão de Serviços e Obras Públicas na Câmara Municipal de Manaus (CMM), que chegou afirmar que estava fiscalizando o local durante a ligação, após analisar os vídeos e fotos que foram compartilhados por internautas. “Foi algo fora do normal aquele temporal. E não foi apenas esta parada que foi atingida, mas como vários outros locais na Ponta Negra, como já tivemos conhecimento na comissão. Inclusive, já acionei o secretário Claudio Guenka (da Implurb), por telefone”, disse o vereador. 

Entretanto, 14 minutos após a afirmação, o político voltou atrás em seus esclarecimentos e disse que a parada danificada não foi a nova estação de ônibus, e sim um outro ponto que também fica localizado na Ponta Negra, em frente a uma pizzaria.
 
Único político de oposição à Prefeitura na Câmara Municipal de Manaus, o vereador  Chico Preto (sem partido), declarou que chegou a solicitar uma inspeção na execução da obra da parada de ônibus ao longo deste ano, que foi rejeitado em plenário. “Os R$ 207 mil gastos  nesta obra, poderiam reformar aproximadamente 70 abrigos, ou serem voltados para a construção de 18 novos abrigos em vários bairros de Manaus. Não é só frescura que custa caro, incompetência para fazer bem-feito também”, criticou o vereador.

Na época da inauguração da estrutura no dia 15 de agosto deste ano, o prefeito Arthur Neto (PSDB) chegou a ser duramente criticado pela população por conta do alto custo gasto na obra.

Fabrício Mendes, Renova Brasil

“Fui motivado a reformar a parada de ônibus pelo objetivo de chamar a atenção do Poder Público e dos contribuintes sobre a desigualdade e o mal uso do dinheiro público.  Quis chamar a atenção principalmente da Prefeitura de Manaus e dos vereadores da Câmara Municipal de Manaus, pois tem duas paradas de ônibus na mesma rua da CMM que estão completamente abandonadas. Gastei somente R$ 352 na reforma de uma parada, quando o nosso prefeito gasta R$ 207 mil. Se o poder público tivesse compromisso com este dinheiro que é nosso, do povo, grande parte desta verba poderia ter sido investida em políticas públicas, como na mobilidade, infraestrutura e muito mais. Mas infelizmente é o inverso. A prefeitura tem gastado milhões com publicidade, quase todos os dias temos uma média de 14 ônibus danificados nas ruas, dentre tantos outros problemas”, afirmou o estudante que reformou uma parada de ônibus na mesma rua da CMM com apenas R$ 350 no início deste mês.

 

News wal 0488c851 da85 434c afa9 e1a895689bb3
Repórter de A Crítica
Jornalista formada em 2014 pela Uninorte e pós-graduanda em Gestão de Redes Sociais e Marketing Digital pela Fametro, começou em A Crítica como repórter de esportes em 2016. Hoje atua na editoria de política e economia, com uma enorme paixão pelo jornalismo investigativo.

Mais de Acritica.com

18 Nov
bradesco_C22DD61C-FE71-4FDD-BB1B-A5B7C048EF01.JPG

TRT11 celebra acordo de R$ 1,1 milhão entre Bradesco e ex-funcionária

18/11/2019 às 11:20

A bancária ingressou com reclamação trabalhista contra o HSBC e o Bradesco em novembro de 2016, pretendendo receber o pagamento de diferenças salariais, horas extras, tempo a disposição da instituição financeira durante as viagens, além indenização pelos danos morais sofridos no ambiente de trabalho


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.