Publicidade
Manaus
Manaus

Incêndio de grandes proporções atinge panificadora Conde do Pão no Dom Pedro, em Manaus

O terceiro pavimento do local, ponto tradicional e bastante movimentado da cidade, foi consumido pelas chamas. Ninguém ficou ferido 03/01/2015 às 16:41
Show 1
Incêndio destruiu terceiro e último andar do imóvel que abriga a padaria
Lucas Jardim e Mariana Lima Manaus (AM)

A panificadora Conde do Pão localizada no bairro Dom Pedro, na Zona Centro-Oeste de Manaus, foi atingida por um incêndio de grandes proporções no início da tarde deste sábado (3). As chamas se propagaram sem controle pelo terceiro pavimento do estabelecimento, só sendo contidas por volta das 14h40. Ninguém ficou ferido, mas o último piso do imóvel ficou destruído.

O incêndio começou por volta das 13h10. O Corpo de Bombeiros informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que sua primeira viatura foi acionada às 13h15 e demorou cerca de cinco minutos para chegar até o local. No entanto, moradores da área e funcionários do estabelecimento que acompanhavam a ocorrência relataram que os bombeiros demoraram cerca de 30 minutos para responder ao chamado.

Um funcionário, que trabalha no almoxarifado da panificadora e não quis se identificar, acredita que o sinistro possa ter começado na sala de frituras. "O calor deve ter de alguma maneira afetado as tubulaçoes de gás e o fogo se alastrou pelo prédio", contou. Ainda segundo ele, as labaredas tomaram grandes proporções devido à quantidade de papéis e embalagens plásticas armazenadas na parte afetada do edifício.


Bombeiros começaram combate pelo lado externo (Márcio Silva)

O principal foco do sinistro foi justamente no último andar do imóvel, onde funcionava uma confeitaria e que também servia como déposito para documentos e embalagens - ou seja, muitas coisas de papel e plástico, materiais altamente inflamáveis. Policiais da 10ª Companhia Interativa Comunitária encontram muita dificuldade para isolar a área devido ao exorbitante número de curiosos e moradores da área que estão concentrados nas proximidades da panificadora.

Segundo o tenente Janderson Lopes, responsável pelo combate ao incêndio, quando os bombeiros chegaram no local, não foi possível chegar ao foco das chamas, então os brigadistas começaram o controle pelo lado externo do prédio. O incêndio só conseguiu ser controlado por volta das 14h40, pouco mais de uma hora e meia após seu início, e atualmente se encontra na fase de rescaldo. 

No momento, os bombeiros utilizam o hidrante na frente do colégio La Salle, localizado na mesma avenida, e trabalham com o apoio de quatro viatuas de combate a incêndio, com cinco mil litros de água cada, dois caminhões-pipa, com 15 mil litros cada, e uma alto-plataforma mecância que permite que jatos d'água sejam lançados por cima das chamas. De acordo com Janderson, o prédio está com sua estrutura colapsada, mas a única parte que corre real risco de desabamento é o terceiro pavimento.


Incêndio assustou moradores das redondezas (Divulgação)

Vários funcionários saíram visivelmente abalados do prédio, mas tanto o Corpo de Bombeiros quanto o Serviço de Atendimento Móvel (Samu) não registraram nenhum morto ou ferido. O Samu deslocou quatro ambulâncias para o local para dar suporte, mas, até a publicação desta matéria, nenhuma vítima precisou ser removida.

O Sr. Carlos Alberto (foto abaixo), proprietário da panificadora, esteve no local durante boa parte da ocorrência, acompanhando tudo de perto e orientando os bombeiros. "O prédio possui seguro, mas ainda não lembramos a abrangência de riscos que ele cobre, teremos que sentar e ver nos próximos dias. A nossa prioridade agora é com os funcionários, que, Graças a Deus, ninguém se feriu", disse.

Segundo funcionários, a panificadora foi completamente reformada há aproximadamente um ano. O estabelecimento possuía extintores de incêndio espalhados pelos departamentos. Durante o processo de resfriamento do prédio, após os bombeiros controlarem as chamas, era possível ver grandes rachaduras na fachada do prédio.


Publicidade
Publicidade