Publicidade
Manaus
GRANDES PROPORÇÕES

Incêndio de grandes proporções na Compensa teria iniciado em um ar-condicionado

Cerca de oito casas de madeira tiveram perda total durante o sinistro na rua João Walter, na comunidade conhecida como Meu Bem, Meu Mal, no bairro Compensa 2. 13/07/2017 às 22:39 - Atualizado em 14/07/2017 às 09:46
Rafael Seixas Manaus (AM)

Aproximadamente oito casas de madeira tiveram perda total  durante um incêndio de grandes proporções na noite desta quinta-feira (13), por volta das 21h, na rua João Walter, na comunidade conhecida como Meu Bem, Meu Mal, no bairro Compensa 2, na Zona Oeste de Manaus.

O Corpo de Bombeiros enviou ao local sete viaturas. Segundo a assessoria de imprensa do órgão, o incêndio foi controlado por volta das 22h e aproximadamente 30 mil litros de água foram utilizados. Apesar da grande proporção não houve vítimas.

Moradores disseram que o fogo começou em um ar-condicionado de um dos barracos e se espalhou rapidamente. “Deixaram o ar-condicionado ligado por muito tempo, daí ele explodiu”, disse Gabriel Monteiro, 18. “Tinha uma mulher grávida na casa, mas ela conseguiu sair felizmente”, completou.

"Vez ou outra tem um incêndio por aqui, por causa das instalações de energia, mas nunca um tão grande", disse o também morador Agnaldo Barroso, 49.

Ajuda às vítimas

De acordo com o padre Marco Antonio Cardoso Silva, 42, da paróquia São Vicente de Paulo, os bombeiros tiveram dificuldade para controlar o sinistro devido ao local ser de difícil acesso.

“Há muitas famílias desesperadas porque as mangueiras do Corpo de Bombeiros não estão chegando ao local. Muitas pessoas estão pegando baldes com água e ajudando. Infelizmente, o fogo ainda está se alastrando e muitas imóveis estão sendo consumidos. É uma média de cinco a seis famílias que foram prejudicadas e entre seis e sete casas”, declarou.

Ainda conforme o padre moram na área muitas pessoas de baixa renda e, por isso, ele pede doações de roupas, lençóis e alimentos para ajudar as famílias. A igreja ajudará no que for possível. Mais informações sobre como ajudar podem ser  obtidas com o padre Marco no telefone (92) 99251-8790.

Publicidade
Publicidade