Publicidade
Manaus
Manaus

Infraero afirma estar preparada para nevoeiro, que deve ser mais frequente

Segundo a Infraero, medidas como fechar o aeroporto nos próximos dias não estão descartadas 12/08/2013 às 20:07
Show 1
Fenômeno teve início no último domingo (11) e se agravou na manhã desta segunda-feira
OSWALDO NETO ---

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) garantiu nesta segunda-feira (12) ao ACRITICA.COM que está organizada para enfrentar a neblina que vem prejudicando o trabalho de pilotos de aeronaves do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, localizado na avenida Santos Dumont, Tarumã, Zona Oeste de Manaus. O fenômeno começou neste domingo e se agravou na manhã desta segunda-feira (11), entre as 4h e 8h da manhã. 

Segundo a Infraero, vários equipamentos estão dando suporte nos procedimentos de pousos e decolagens a fim de garantir a segurança dos passageiros. O órgão também informou que medidas de segurança, como fechar o aeroporto por certo tempo, não estão descartadas para os próximos dias caso a situação fuja do controle e, caso aconteçam, pousos serão encaminhados aos aeroportos de Santarém, Boa Vista e Porto Velho.

Conforme informações repassadas pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), a previsão para os próximos dias é de mais nevoeiros nas imediações do Aeroporto Eduardo Gomes. “Este fenômeno não estava previsto para ocorrer na cidade. Porém, frequentemente, pode vir a acontecer nesta época do ano pelo fato de existir uma grande cobertura de vegetação nas localidades e a temperatura lá ser menor”, explica o meteorologista Ivan Saraiva, do INMET.  

Nevoeiro em Manaus
De acordo com o INMET, o nevoeiro que ocorreu em Manaus nesta madrugada foi causado pelo resfriamento radiativo do ar inferior úmido. É algo que acontece em condições de céu claro e ventos calmos e é formado a partir de uma inversão térmica de superfície, causado pelo resfriamento radiativo durante a noite, sendo esta inversão de temperatura o próprio nevoeiro, destruídos após os primeiros raios de sol. "Normalmente são rasos e desaparecem rapidamente após o nascer do sol", assegurou o meteorologista.

Publicidade
Publicidade