Publicidade
Manaus
dia das crianças

Insegurança, atendimento e falta de comodidade afastam consumidor do Centro

Pesquisa da Fecomércio aponta que shoppings e comércios de bairros têm ganhado a preferência em relação ao tradicional comércio do Centro da cidade 11/10/2016 às 09:00
Show shoppinga12
A pesquisa de Intenção de Compra e Confiança do Consumidor Manauara afirma que haverá uma queda de 28% no gasto médio do consumidor no Dia das Crianças (Foto: Antônio Lima)
Geraldo Farias Manaus (AM)

Atendimento ineficiente, falta de estacionamentos, calor e sensação de insegurança devido aos assaltos são motivos para o consumidor manauara deixar de frequentar o Centro, segundo Pesquisa de Intenção de Compra e Confiança do Consumidor, realizada pela Federação do Comércio do Estado do Amazonas (Fecomércio-AM). 

Os shoppings centers se tornaram os favoritos dos consumidores manauaras devido à segurança e conforto proporcionados, de acordo com o relatório. O comércio de bairros, que têm a mobilidade e localização como pontos positivos, também influenciam na diminuição da procura do consumidor pelo Centro da capital.

Os entrevistadores perguntaram aos consumidores quais os critérios que influenciavam na escolha do local preferido para fazer compras. O Centro recebeu as piores médias referentes a estacionamento e atendimento, com percentual de satisfação de 3,8%, para ambos os critérios. Para efeito de comparação os shoppings receberam nota de 45,4% referente ao estacionamento e 15,7% para o atendimento. 

A segurança é a terceira maior causa que afasta os consumidores do Centro de Manaus, com avaliação de 4,6%. Os assaltos diários e arrastões amedrontam a população. O estudo indica que 11,5% dos consumidores do Centro foram assaltados em agosto deste ano. Os shoppings obtiveram o resultado de 59,1% referente à segurança, como fator de influência na escolha do local para compras. O calor é outro fator que conta contra o Centro, com percentual de 5,4%. A climatização dos shoppings centers colabora para que 51% dos seus clientes optem por não frequentar o Centro. 

Apesar da avaliação baixa em conforto, segurança e comodidade, o Centro ainda continua sendo o local mais atrativo em relação a preço, variedades de lojas e produtos. A nota para o Centro em relação a preço foi de 90,8%, sendo o principal motivo que leva o consumidor a frequentar o local. A variedade de dos produtos recebeu nota de 74,6% e a variedade nas lojas 73,1%. 

Para o assessor de assuntos econômicos da Fecomércio-AM, José Fernando, o fator segurança não é o principal motivo que afasta o consumidor do Centro e os aproxima aos shoppings. “O fator segurança não é preponderante para o consumidor dos shoppings centers. O consumidor do shopping busca maior conforto, climatização, vagas de estacionamento e variedades em lojas e produtos”, avaliou. 

O aumento no comércio local, de bairros, também tem crescido. O fator localização com 84,7% favorece o comércio de bairro. 

A pesquisa de Intenção de Compra e Confiança do Consumidor Manauara afirma que haverá uma queda de 28% no gasto médio do consumidor no próximo dia das crianças. A expectativa de gasto, segundo a Fecomércio é de R$ 180, uma redução de R$ 70 no gasto médio registrado no dia das crianças do ano passado, que foi de R$ 250. “Devido a crise financeira, desemprego e descrédito na recuperação da economia vamos ter um gasto médio no período inferior ao ano passado, apesar de o setor afirmar que a nossa atividade econômica deixou de piorar”, afirmou José Fernando. 

Critérios na hora de comprar

A dona de casa Aline Lucena, com três filhos pequenos afirma que terá de fazer uma escolha bastante criteriosa dos presentes das crianças, pois os preços estão bem mais caros em relação ao ano passado. Aline pretende investir R$ 300 do orçamento familiar com o dia das crianças, dividindo esse valor em R$ 100 de gasto para cada um de seus filhos. 

“Os brinquedos estão um pouco caro. Ainda mais com tudo subindo, e pra três crianças então, temos que escolher bem”, disse Aline. A dona de casa afirma que o investimento de R$ 300 para os três filhos é o mesmo do ano passado, a única diferença é que a pesquisa precisará ser um pouco maior, devido aos preços dos brinquedos. “Os preços dos brinquedos subiram em R$ 15, referente ao ano passado, com a pesquisa que eu fiz”, relatou. 

Aline Lucena espera presentear os três filhos, dois meninos e uma menina, com brinquedos roupas e calçados, seguindo a expectativa do comércio. Segundo a Fecomércio, 60% das compras do dia das crianças serão de brinquedos e os outros 40% no consumo de roupas, calçados e outros itens.

CDL-Manaus cobra investimentos.

"Depende de vontade política.  Estamos há dois anos com o Centro cheio de tapumes”. A afirmação é do presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL-M), Ralph Assayag.   De acordo com o presidente da CDL-M é preciso mais políticas públicas de modernização do Centro de Manaus para atrair de volta os consumidores. “O Centro sempre tem altos e baixos e chegamos no momento mais baixo. Estamos há dois anos com tapumes nas praças, as nossas vias em obras. Precisamos entregar essas obras para a população. A partir do momento que recuperarmos a Eduardo Ribeiro, a praça Tenreiro Aranha, a Matriz, por exemplo, tudo isso vai fazer com o que o nosso cliente volte ao Centro. Além dessas obras também entregamos nossas reivindicações aos dois candidatos a prefeito de Manaus, quem quer que seja o prefeito tem de continuar investindo nas melhorias”, explicou Assayag.

Entre as reivindicações indicadas pelos lojistas está a viabilização de terrenos vazios do Centro que passarão a servir como estacionamentos. Outra solicitação é com liberação de ruas para servirem de estacionamento, com expectativa de criação de 400 novas vagas de estgacionamento. Ralph também espera que, permanecendo o atual prefeito ou entrando outro prefeito, sejam feitos investimentos na iluminação e segurança específica para atuação no Centro.

Publicidade
Publicidade