Publicidade
Manaus
Atendimento Essencial

Instituto criado em 2013 é opção para atendimento de reabilitação neurofuncional

Abnegada pelo filho, e sob a necessidade de ajudar outras pessoas, psicóloga criou o Instituto Acontecer, entidade sediada no Japiim 2, Zona Sul, e que, mesmo sem qualquer apoio privado ou governamental, auxilia 25 pacientes crianças e idosos que necessitam de tratamento 21/04/2016 às 15:00 - Atualizado em 21/04/2016 às 15:48
Show znaocort30
Francisco Lima, de 85 anos (camisa listrada), é um dos pacientes que são atendidos pelo Instituto Acontecer / Fotos: Márcio Silva
Paulo André Nunes Manaus (AM)

Na famosa canção “Pra não dizer que não falei de flores”, de 1968, o compositor Geraldo Vandré criou o célebre refrão "Vem, vamos embora / Que esperar não é saber / Quem sabe faz a hora, / Não espera acontecer”. E é justamente não esperar pelo acaso, e correr atrás dos seus objetivos, algumas das características da psicóloga Rosângela Fernandes. Abnegada pelo seu filho, e sob a necessidade de ajudar outras pessoas, ela criou o Instituto Acontecer, entidade sediada no Japiim 2, Zona Sul, e que, mesmo sem qualquer apoio privado ou governamental, auxilia 25 pacientes crianças e idosos que necessitam de reabilitação neurofuncional de segunda a sexta, de 8h às 18h. 

O instituto nasceu em abril de 2013, por iniciativa da psicóloga Rosângela Fernandes, que percebeu a ausência, em 2007, de um centro que pudesse proporcionar ao filho Izaquiel, portador de paralisia cerebral, todas as terapias necessárias para que ele buscasse a qualidade de vida. “De lá para cá o projeto foi estruturado, idealizado e se concretizou em 2013 quando o tiramos da gaveta e o transformamos em realidade. Começamos na sala da minha casa, de forma gratuita, depois o projeto foi crescendo e tendo outras necessidades e hoje tomamos o fomato que temos”, conta a fundadora.

Hoje Izaquiel tem 12 anos de idade, e é um dos pacientes da instituição. “Como eu tenho essa motivação pelo meu próprio filho, para que o instituto prossiga, estamos todos os dias sempre em busca de tecnologias e inovações para que a instituição não tenha os atendimentos paralisados”, frisa a médica.

Finalidade

A finalidade do local é habilitar, reabilitar e realizar a inclusão da pessoa com deficiência neurofuncional com a proposta diferenciada de trabalhar com as novas tecnologias da área, informa sua fundadora, aderindo crianças e idosos em todas as suas deficiências e neuropatias.

O Instituto Acontecer tem um corpo técnico com 9 profissionais - 2 fisioterapeutas, 2 fonoadiólogos, 4 assistentes sociais, 1 psicóloga -, além de 18 estagiários voluntários.

São atendidos de segunda a sexta autistas, portadores de síndrome de down e paralisia cerebral e idosos nas mais diversas sequelas neurológicas. Atualmente, as despesas fixas da entidade giram entre R$ 10 mil a R$ 12 mil mensais. 

Para ingressar no instituto e realizar as terapias, os pacientes se associam e acabam tendo benefícios a custo menor do que em outros locais que oferecem o serviço. O plano inicial tem adesão para famílias com renda de 2 a 3 salários mínimos onde é cobrada uma taxa mensal de R$ 300.

Acima, a psicóloga Rosângela Fernandes, fundadora da instituição

“Precisamos desse retorno para manter a casa pois não temos apoio de Governo, Município, nem de empresas nem de nada. A instituição hoje é autosustentável”, diz a fundadora, enfocando que o Acontecer está caminhando para se tornar um grande centro de reabilitação neuropsicológico. "Estamos através das neurociências, fazendo com que os nossos estudos sejam aplicados dentro da instituição e que, a partir deles, possamos criar nossas metodologias".

Instituto busca pacientes e parceiros

Localizado na  rua B9, nº 79, no Japiim 2, o Instituto Renascer convida pacientes que buscam a reabilitação neurofuncional para que conheçam a entidade. “Que a sociedade possa conhecer o nosso trabalho, onde cobramos um custo bem acessível para nos ajudar na manutenção do projeto. Que conheçam a ferramenta, e percebam as mudanças e transformações na vida dos seus entes queridos”, diz.

Hoje com 25 pacientes, o espaço comporta até 300 pessoas. “O nosso grande apelo é buscar a parceria do Estado, do Município, de grandes empresários que possam nos ajudar no ingresso das pessoas que necessitam de um tratamento com tecnologia, pois muitas não possuem recursos para aderir a um tratamento de qualidade e que seja necessário a ele”, disse Rosângela.

Casal que teve AVC faz reabilitação no local

O casal Francisco Rosa de Lima, 85, e Raimunda Nogueira de Lima, são dois dos pacientes que fazem a reabilitação neurofuncional no Instituto Acontecer. Ambos sofreram AVC há alguns anos e estão realizando a ativi

BLOG: Solange N. Rodrigues, associada do Instituto Acontecer

Levei meus pais (Francisco Lima, 85, e Raimunda Lima, 82)  pela 1ª vez nesta 4ª (20) ao Instituto Acontecer. Antes eles se tratavam numa clínica particular, mas o custo era alto. Depois fomos para a clínica-escola de uma faculdade, mas eles não saíam da anamnese (entrevista realizada pelo profissional de saúde ao paciente, visando ser um ponto inicial no diagnóstico de uma doença ou patologia). Mas aqui vi que eles foram bem acolhidos, com cuidado e carinho. Eles gostaram. A minha mãe até ressaltou que se sentiu bem melhor.

Publicidade
Publicidade