Publicidade
Manaus
CAOS

Interdição de rua após deslizamento em obra causa congestionamento no Parque 10

Deslizamento soterrou e matou trabalhador de 39 anos na tarde de quinta-feira (8). Avenida foi interditada pelo Manaustrans e desvios estão sendo realizados no local 09/12/2016 às 10:53 - Atualizado em 09/12/2016 às 14:08
acrítica.com Manaus (AM)

A interdição da avenida Maneca Marques, no bairro Parque 10, Zona Centro-Sul, após o deslizamento de terra que deixou um homem morto ontem, provocou um engarrafamento quilométrico na manhã desta sexta-feira (9).

O Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) foi acionado e fez desvios no local. Os desvios foram feitos pela rua Ivonete Machado e rua 6 do conjunto Castelo Branco, às quais dão acesso à rua Carlota Joaquina e posteriormente à rotatória do Eldorado.

Órgãos municipais realizaram uma intervenção em caráter emergencial para que os deslizamentos não tomassem outras partes do calçamento e da via. A Polícia Civil vai investigar a responsabilidade criminal e a Prefeitura vai solicitar o ressarcimento de todo material e uso dos equipamentos que prestam serviços no local.

 A Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) realizou uma contenção da erosão no terreno, que possui um buraco com mais de 1.800 metros quadrados. Uma equipe formada por 20 trabalhadores, além da utilização caçambas, rolo compactador, retroescavadeira, escavadeiras hidráulicas e outros equipamentos, estão sendo utilizados para a remoção dos aterros, para abastecer as caçambas, em trabalho em ritmo acelerado no local.

 Segundo o diretor do departamento de manutenção e infraestrutura urbana, José Roberto Costa, a obra de contenção, que durou a noite toda, vai precisar seguir durante todo o dia de hoje e pela madrugada, para que até a manhã deste sábado, a via seja novamente liberada para o tráfego de veículos no local.

 Na tarde de ontem, um deslizamento de terra em uma obra matou um homem identificado como Manoel Moreira Alcântara, 39. Ele era operário da obra, que chegou a ser embargada pelo Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb) em setembro deste ano após um desabamento. Outro homem, Raimundo Vieira da Silva, 37, sobreviveu e foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros.

Irregularidades

À coluna Pinga-fogo, o Sindicato da Construção Civil (Sintracomec) prometeu denunciar e entregar empresas e até o Ministério Público do Trabalho, que não estaria fiscalizando os canteiros de obras no local.

Publicidade
Publicidade