Sexta-feira, 13 de Dezembro de 2019
Manaus

Invasão em área preservada gera conflitos entre moradores e índios

A invasão está localizada entre os conjuntos Alfredo Nascimento e Francisca Mendes 2 e iniciou há oito meses



1.jpg Indígenas entraram em confronto com moradores do conjunto Francisca Mendes após invadiram área verde
28/01/2014 às 16:52

Quase 150 famílias que alegam ser indígenas entraram em confronto na manhã desta terça-feira (28), com moradores do conjunto Francisca Mendes 2, na Zona Norte, após invadiram uma área verde.

A invasão localizada entre os conjuntos e Alfredo Nascimento e Francisca Mendes 2 iniciou há oito meses e segundo os moradores da localidade, na manhã desta terça-feira (28) os indígenas avançaram para os fundos das casas das pessoas que moram no local há 20 anos o que ocasionou o confronto.



Havia um acordo verbal entre índios e moradores para que a ocupação não ultrapasse os limites dos terrenos legalizados na área. Porém, na noite de segunda-feira (27), os índios derrubaram a cerca que existia no local e construíram barracos aos fundos das casas dos moradores. Cerca de 50 barracos foram erguidos na área.

Na manhã desta terça-feira, os moradores foram questionar a quebra do acordo com os indígenas e houve confusão.

Agressões durante o confronto

Índios e moradores discutiram e a polícia foi acionada para evitar conflitos. Tanto índios quanto moradores alegam que sofreram agressão. A índia Nara Sateré Mawe, disse que foi agredida no pulso por um morador.

O operador de máquina Roberdan Mendes Zogaib, 44, mora na rua Tiuma, antiga rua 87, há 18 anos e disse que foi mantido em cárcere privado pelos índios durante 20 minutos. Ele é dono de uma das dez casas que ficam de fundo para a área invadida e questionou a retirada da cerca.

Roberdan contou que foi empurrado pelos índios e teve lanças apontadas contra ele, além de sofrer ameaças. O morador só foi liberado depois da chegada da polícia.

O cacique Kauíxe Kokama, cujo nome em português é Eledilson Correa Dias, disse que os índios não querem conflito e que apenas estão reivindicando um território que “por direito histórico” é deles.

Terra pertence ao Município

Segundo a polícia a área invadida pertence ao município e se trata de área preservada. Apesar de o tumulto ter sido contornado, ninguém foi retirado do local.

A PM atuou como mediadora do conflito e os indígenas prometeram não construir mais barracos para não provocar os moradores.

Acordo descumprido

Bastou a polícia sair do local para que a construção de mais barracos fosse retomada.

A invasão começou em junho de 2013 na área do conjunto Canaranas e Alfredo Nascimento. Em novembro avançaram para o Francisca Mendes.

Os moradores fizeram um acordo verbal no qual os índios prometeram que respeitariam uma cerca no local, o que não ocorreu.



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.