Publicidade
Manaus
Manaus

Invasores de antigo balneário em Manaus ateiam fogo em mata para aumentar área invadida

Além do desmatamento da floresta, queimadas vêm causando problema para moradores das redondezas, que inalam espessa camada de fumaça diariamente 12/08/2015 às 21:17
Show 1
Os muros do condomínio Total Ville Paraíso se tornara, o limite da área que vem sendo invadida de forma descontrolada.
Náferson Cruz Manaus

Conviver com fumaça tem sido rotina dos moradores do condomínio Total Ville Paraíso, localizado na avenida Torquato Tapajós, na Zona Norte, próximo à barreira intermunicipal. O motivo se dá  em função das constantes queimadas que vêm sendo praticadas por invasores de uma área situada no antigo balneário da Conceição, no bairro Lago Azul,  nos fundos do condomínio.

Na  tarde de ontem, não foi diferente das últimas  denúncias e mais uma vez os invasores atearam fogo na vegetação. Foi questão de minutos para a fumaça tomar conta do condomínio.

“A nossa vida aqui está  muito complicada, temos que conviver diariamente com a fumaça provocada pelo fogo na mata. Todo final de tarde temos que ficar com as  portas e janelas trancadas para a fumaça não entrar nos apartamentos”, disse  Dalter Cruz, síndico do condomínio.

Segundo ele,  inúmeras denúncias foram feitas aos órgãos pertinentes, mas nenhum tomou providências. Na esperança de tentar contornar a situação, uma “carta denúncia” e um relatório expondo a situação foi entregue, ontem, à Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal de Manaus (CMM). “Espero que a Comissão se sensibilize com a causa e tome providências”, comentou Dalter.

A mesma documentação entregue à Comissão da CMM foi protocolada no último dia 15 no Ministério Público do Estado (MPE-AM), para que o órgão tome ciência do que está acontecendo. No local invadido, há armações de casas de madeira e alvenaria sendo erguidas pelos invasores, enquanto outros utilizam roçadeiras para limpar a área.

Entre os ocupantes estão famílias vindas de cidades próximas a Manaus  e até de outros Estados, como de Belém.

Situação da área

O terreno pertence à Prefeitura de Manaus e é alvo de uma disputa judicial referente ao valor da indenização repassada à antiga proprietária. Os invasores alegam que o município deve R$ 11,6 milhões à dona Conceição e que, por este motivo, ela “deu carta branca” para que o terreno fosse ocupado.

Em 2011, a área foi desapropriada para receber o conjunto habitacional Parque dos Buritis 2. No entanto, as obras sequer iniciaram e agora o terreno está ocupado por aproximadamente 300 pessoas.

Família ainda não foi compensada

A filha da ex-proprietária do terreno,  Silvete Moreira, esclareceu que a família não está incentivando a invasão. “Até o momento não recebemos nada pela área, como pode uma desapropriação ser justa e prévia. Entretanto, a Prefeitura quer nos pagar em precatório e pode levar mais de 5 anos, isso se formos inscritos em até julho de 2016, portanto, onde está justa e previa indenização?”. “Dona Conceição” faleceu em 2011 sem receber a indenização total.

Publicidade
Publicidade