Publicidade
Manaus
AMEAÇA NA ZONA NORTE

Invasores degradam área verde, matam animais e amedrontam a vizinhança

A invasão fica entre as ruas 244 e 245 da quadra 448 e às margens da avenida Curaçao. Moradores de todo o conjunto Cidadão 7 estão revoltados porque a área desmatada pelos invasores era bem cuidada pela população 18/02/2017 às 10:13 - Atualizado em 18/02/2017 às 10:13
Show 1195938
Invasores já desmataram parte da área e começaram a demarcar lotes. (Winnetou Almeida)
Silane Souza Manaus (AM)

Uma invasão no conjunto Cidadão 7, bairro Nova Cidade, Zona Norte, está degradando uma Área de Preservação Permanente (APP), bem como uma área institucional e uma área verde situadas na mesma região. Além de derrubar as árvores nativas e frutíferas, algumas plantadas pelos moradores das proximidades, os invasores também estão matando os animais que vivem no local, onde há mais de um mês vários lotes foram demarcados e barracos são construídos todos os dias. 

A invasão fica entre as ruas 244 e 245 da quadra 448 e às margens da avenida Curaçao. Moradores de todo o conjunto estão revoltados porque a área desmatada pelos invasores era bem cuidada pela população justamente por abrigar vários animais, que agora estão indefesos. “Nós tínhamos essa mata como zoológico. Todos os dias a gente via macacos, bicho preguiça, iguana e cotia se alimentando, mas os invasores estão acabando com tudo”, disse uma moradora, que não quis se identificar.

Os moradores dizem que os invasores correm atrás dos animais para matar. “Eu vi um cara correndo com um terçado atrás de uma cutia. Foi muito triste presenciar aquilo”, afirmou a moradora. Conforme ela, alguns animais foram resgatados pelos moradores do conjunto e levados para ambientes seguros. “Um vizinho conseguiu pegar dois bichos preguiças e levar para o Musa (Museu da Amazônia), mas a maioria não teve a mesma sorte. E a gente teme pelos que ainda restam”, completou.

Os moradores alegam ainda que vivem sob ameaça. De acordo com eles, os invasores intimidam todo mundo que é contra a invasão. “Teve um dia que os moradores fizeram uma reunião para fazer um abaixo assinado contra a invasão, pois os líderes da invasão foram lá dizer que se a polícia baixasse na invasão eles matariam todo mundo. Não sabemos mais o que fazer”, contou um morador, que também preferiu não se identificar. 

Outro, que também quis manter o nome preservado por temer represálias, afirmou que a cada dia aumenta o número de pessoas invadindo a área e cresce a insegurança. “Tivemos casas furtadas e todo tipo de problema que uma invasão causa. Não sabemos mais o que é ter paz”, relatou. 
Apesar das denúncias aos órgãos ambientais, moradores  disseram que nenhum deles compareceu ao local para coibir a invasão, a quinta que se instala na APP em nove anos.

Retirada está sendo planejada

O Grupo Integrado de Prevenção às Invasões em Áreas Públicas (Gipiap) informou que fez algumas vistorias na área, coletando dados, realizando relatório fotográfico e informando aos ocupantes que a área em questão não pode ser ocupada dessa forma, pois trata-se de uma área institucional, seguida de uma área verde que também está sendo destruída. O Gipiap está planejando uma nova ação para realizar a desocupação administrativa de toda área.

O departamento de Fiscalização da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) também informou que a ação dos invasores vem sendo monitorada. Conforme o setor, os invasores, inicialmente, estavam piqueteando as áreas para demarcação de lotes. Uma operação está sendo articulada pelos órgãos que integram o Gipiap, do qual a Semmas faz parte.

Outra área verde é alvo de invasores, ainda na Zona Norte

Outra área verde, situada logo após o conjunto Cidadão 7, também às margens da avenida Curaçao, no bairro Nova Cidade, voltou a ser invadida. Em setembro, o Gipiap realizou uma desocupação no local, retirando 251 edificações não habitadas,  mas os invasores tomaram conta da área novamente. O Gipiap informou que está monitorando a área e a qualquer momento poderá ser feita uma nova desocupação.

Publicidade
Publicidade