Sexta-feira, 19 de Abril de 2019
publicidade
1.jpg
publicidade
publicidade

Manaus

Invisíveis para muitos, garis querem melhores condições de trabalho em Manaus

Alimentação é a principal reclamação. 'A comida às vezes chega azeda e nem sempre é boa', conta uma trabalhadora do sistema municipal de limpeza pública


15/09/2015 às 10:56

Eles passam despercebidos, às vezes parecem que são invisíveis,mesmo usando uniforme laranja, mas estão todos os dias nas ruas da cidade, varrendo e juntando o lixo que a população joga no chão. Os garis são os responsáveis pela limpeza das vias públicas e em períodos de muito Sol eles são os profissionais que mais sofrem com o calor que faz na cidade.

Encontramos alguns desses trabalhadores na rua Felismino Soares, na Colônia Oliveira Machado, e em conversa com eles, descobrimos que a maior dificuldade é a alimentação, que nem sempre chegar com boa qualidade. A gari Miriam da Silva Franco, de 46 anos, trabalha limpando a mesma via há dois anos e sete meses e fala que o trabalho é importante para manter a cidade limpa. "Mas nem todo mundo tem essa consciência, né? Porque às vezes a gente tá varrendo e as pessoas já estão jogando lixo no chão”, lamenta.

Comida é sofrimento

A principal reclamação dos trabalhadores é em relação à comida. “A comida às vezes chega azeda e nem sempre é boa, mas é o que tem”, diz Miriam.

A reclamação dela é a mesma do colega Ítalo  Gustavo Pimentel, de 22 anos, que diz que acredita que a demora na entrega seja um

dos motivos para a comida azedar. “Tem dias que a comida chega tarde e pela hora acaba vindo azeda”.  O jovem trabalha no local há um pouco mais de seis meses e diz que o trabalho sob o sol é o mais cansativo. “Essa época do ano o sol castiga, porque é muito quente e gente precisa deixar tudo limpo até o final do dia”.

Mesmo trabalhando no Sol o dia inteiro, o situação dos garis não comove algumas pessoas que negam água, quando eles pedem, ou reclamam que o trabalho deles é mal feito.

Miriam diz que pessoas gentis são a maioria. “O tempo que trabalho aqui, graças a Deus, encontrei mais gente que ajuda que dá um copo com água e às vezes deixa a gente usar o banheiro até pra tomar um banho depois de um dia de trabalho, porque a gente não tem onde se trocar”, agradece a trabalhadora.

Mas para muitos eles são invisíveis. Ao perguntar para um comerciante local o que ele achava do trabalho dos garis que todos os dias passavam limpando a rua, ele respondeu com a pergunta: “Que garis?” e depois de ser apresentado aos trabalhadores quem limpam em frente ao comércio, ele diz que nunca tinha os visto ali. Já o comerciante Paulo Júnior, avaliou o trabalho da limpeza pública . “Eles passam o dia todo aqui limpando a rua, que não é pequena, nesse Sol forte, não é todo mundo que encara um trabalho pesado”, elogia Paulo.

Alimentação vai melhorar, diz prefeitura

Em nota a Secretaria de Limpeza Pública - Semulsp, informou que os funcionários da Prefeitura de Manaus que atuam como garis recebem o valor da alimentação em dinheiro juntamente com o salário e apenas os trabalhadores das terceirizadas recebem o alimento no campo. Mas a Semulsp  garantiu que a partir da próxima licitação todos os trabalhadores contratados pela prefeitura ou terceirizados vão receber a alimentação em dinheiro para evitar que a comida chegue estragada ao trabalhador em campo. Com relação ao material, a Semulsp diz que ele são entregues  aos trabalhadores no campo, antes do dia de trabalho.

publicidade
publicidade
Em Parintins, Boi Boiola realiza chegada das itens no próximo dia 28
Bolsonaro e Paulo Guedes se contradizem ao falar sobre Zona Franca de Manaus
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.