Publicidade
Manaus
AVENIDA EFIGÊNIO SALLES

Órgãos ambientais vão criar grupo para analisar medidas contra morte de periquitos

Alternativas foram debatidas durante reunião entre órgãos ambientais. No sábado (15), Prefeitura de Manaus vai podar 23 árvores do canteiro central para reduzir impacto de veículos pesados 13/12/2018 às 15:54 - Atualizado em 14/12/2018 às 08:48
Show grupo 60413ea0 e429 4edb 81b0 b40b8e7010fe
Foto: Oswaldo Neto
Oswaldo Neto Manaus (AM)

Uma reunião entre especialistas de órgãos ambientais definiu a criação de um grupo de trabalho para estudar medidas a serem tomadas a fim de reduzir os casos de morte de periquitos na avenida Efigênio Salles, na Zona Centro-Sul de Manaus. Como ação emergencial, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) realiza no sábado (15) a podagem de 23 árvores no canteiro central da via.

De acordo com o gerente de fauna do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Marcelo Garcia, o grupo de trabalho foi proposto para que medidas sejam tomadas a longo prazo, incluindo a possível retirada das árvores menores da área para avaliar se as aves encontrariam um espaço diferente e que ofereça menos perigo como dormitório. Outras alternativas devem ser tomadas a partir dos resultados obtidos por meio do estudo.

“O estudo vai ser feito a partir da formação do grupo de trabalho, onde vamos chamar pesquisadores para definir esses estudos e também para dar orientações técnicas. O estudo também vai demandar um prazo longo, e precisamos tomar atitudes um pouco mais rápidas pra evitar essas mortes. Não há mais como deixar esses animais vivendo nesse local”, explicou.

Árvores vão ser podadas

Vinte e três árvores existentes distribuídas por cerca de 450 metros do canteiro central vão ser podadas no sábado (15) pela Semmas como estratégia paliativa para diminuir os impactos dos veículos contra a vegetação. As espécies estão divididas em nove mangueiras, oito palheteiras, quatro paus-pretinhos e dois ipês.

O gerente de corte poda da Semmas, Wellington Auzier, conta que é a terceira vez que a Semmas realiza os ajustes nas árvores. “Através da análise do processo de poda, vamos reduzir as laterais para que fique uma linha imaginária para dentro do canteiro, e também vamos fazer o levantamento delas (das árvores) com a podagem”, explicou.

Auzier pontua ainda que a podagem da árvore não prejudica a vida da espécie nem dos pássaros. Segundo ele, há estudos que indicam que o procedimento reduz os riscos das aves, além de melhorar a saúde das vegetações do canteiro central. “A poda em si auxilia o crescimento regular da árvore, de forma sadia. Independente de ser ali ou não, a podagem é recomendada para evitar o peso, retirar galhos secos ou podres”.

Publicidade
Publicidade