Publicidade
Manaus
MORAM EM RODOVIÁRIA

Itamaraty fará diagnóstico sobre indígenas venezuelanos que vivem em Manaus

Ministério das Relações Exteriores levantará situação de índios venezuelanos que estão acampados próximo à rodoviária de Manaus 09/05/2017 às 11:07
Show 1224493
Cerca de 350 índios venezuelanos, da etnia Warao, estão acampados em Manaus desde dezembro do ano passado (Foto: Antônio Lima - 11/abr/2017)
Antônio Paulo Manaus (AM)

O Ministério das Relações Exteriores (MRE), por meio da Subsecretaria da América Latina e do Caribe, começa a fazer um diagnóstico da situação dos 350 índios venezuelanos, da etnia Warao, que estão acampados em Manaus desde dezembro do ano passado, vivendo em condições precárias debaixo de viaduto e na rodoviária da capital amazonense.

Na quinta-feira, passada, a Prefeitura de Manaus decretou estado de emergência social devido ao intenso processo migratório de venezuelanos na cidade e espera receber ajuda do governo federal. A crise política e econômica na Venezuela tem levado a população do País a buscar melhores condições de vida no Brasil. A principal porta de entrada é o Município de Pacaraima, em Roraima, que faz fronteira com o município venezuelano de Santa Elena do Uiarén.

Foi o próprio ministro de Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, quem prometeu ao coordenador da bancada do Amazonas, no Congresso Nacional, e Secretário de Relações Internacionais da Câmara dos Deputados, Átila Lins (PSD-AM), tomar as providências necessárias e fazer a ponte diplomática entre o governo federal, estadual, municipal e o Consulado Geral da Venezuela em Manaus. “Expus ao ministro que o problema da invasão de venezuelanos nas cidades de Roraima e na capital Manaus aumenta dia a dia. Urge a necessidade do governo brasileiro voltar as suas atenções para esse problema”, disse o deputado federal Átila Lins.

Nesse levantamento e diagnóstico, os diplomatas do Ministério das Relações Exteriores também vão verificar o caso dos milhares de haitianos que migraram para o Brasil desde o início de 2010, quando o Haiti foi devastado por um terremoto.

Ajuda federal

Ontem, a Prefeitura de Manaus comunicou o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário sobre o decreto municipal de emergência social por conta da migração dos índios venezuelanos. “O que nós queremos é a inclusão do governo federal e do governo do Amazonas nas ações que tem como objetivo dar uma solução a curto prazo para o drama dos venezuelanos indígenas Warao que estão em Manaus desde o início de dezembro do ano passado. Estamos preocupados com a disseminação de doenças, como tuberculose e catapora, pois, os indígenas são mais vulneráveis a elas”, explicou o secretário da Semmasdh, Elias Emanuel.

Migração

Desde dezembro do ano passado, famílias venezuelanas formadas por idosos, adultos, jovens e crianças estão migrando em massa para a cidade. A maioria em situação de mendicância. Um dos principais focos deles é a estação rodoviária da capital, seguida pelo Centro da cidade e o bairro de Educandos.

Publicidade
Publicidade