Publicidade
Manaus
Manaus

Jardim do estacionamento do pronto socorro João Lúcio ainda abriga carros

Uma semana após flagrante de abusos no pátio do pronto-socorro, gargalo reduziu, porém jardim ainda abriga carros 21/08/2013 às 09:18
Show 1
Direção do hospital informa que está dando orientações aos motoristas sobre o uso do pátio da unidade de saúde; abuso, no entanto, são flagrantes
Carolina Silva ---

A restrição de estacionamento em algumas áreas do Hospital e Pronto Socorro Dr. João Lúcio, bairro São José, Zona Leste, passou a ser respeitada por alguns motoristas. Mas por falta de espaço, outros ainda apelam para o “jeitinho brasileiro” ao procurarem vaga. A direção do hospital disse que os funcionários da área de Manutenção e Transporte procuram orientar os motoristas sobre a correta utilização dos espaços do estacionamento da unidade e que as recomendações têm sido reforçadas.

Na manhã de dessa terça-feira (20), A CRÍTICA voltou ao estacionamento do hospital. Por falta de espaço, alguns locais continuam sendo usados como vagas de estacionamento. É o caso do gramado do jardim do local, por exemplo.

A direção da unidade de saúde, no entanto, informou que existe um projeto que esta sendo elaborado para reordenamento da área de estacionamento que contará com o apoio e orientação do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans).

Embora alguns motoristas continuem não colaborando com a orientação dos funcionários do hospital, outros passaram a respeitá-la e tem evitado estacionar em curvas, por exemplo, para evitar transtornos na circulação de outros veículos ou até de ambulâncias.

A CRÍTICA mostrou no último dia 14 de agosto alguns absurdos cometidos pelos condutores na hora de estacionar na área externa do hospital. O estacionamento em locais inadequados vinha sendo alvo de reclamações de usuários da unidade de saúde.

Durante a reportagem, um transtorno inusitado chamou a atenção no estacionamento do local. O caminhão de uma empresa que presta serviços a unidade não conseguia fazer uma manobra numa curva impossibilitado por dois veículos estacionados em locais inadequados. Dois funcionários da empresa precisaram ‘afastar’ manualmente um dos veículos para evitar uma colisão.

Publicidade
Publicidade