Terça-feira, 18 de Junho de 2019
CRIME

Jiboia comum e outra rara são roubadas de dentro do Museu da Amazônia

Uma das cobras é da espécie mais comum e a outra é uma arco-íris. O roubo ocorreu nesta quinta-feira (29) da casa onde ficam as jiboias e algumas espécies peçonhentas



29/12/2016 às 17:33

Duas cobras jiboias foram roubadas na tarde desta quinta-feira (29) do Museu da Amazônia, que fica dentro da Reserva Florestal Adolpho Ducke, no bairro Cidade de Deus, na Zona Norte de Manaus. Segundo o diretor operacional do museu, Roberto Moraes, uma das cobras é da espécie mais comum e a outra é uma arco-íris.

“Nós temos dentro do museu uma casinha fechada com janelas e portas trancadas onde ficam as jiboias e algumas espécies peçonhentas. Lá estão 22 exemplares. Hoje tivemos um movimento muito grande. Na área externa temos uma sucuri e outra jiboia que ficam em ambientes apropriados. O roubo ocorreu entre as 13h e às 14h30, entre uma visita e outra. Para entrar na casa quebraram a janela [veneziana de madeira] e subtraíram as duas jiboias”, disse o diretor, complementando que na área não há câmeras de segurança.

A casa onde ficam as cobras é aberta para os visitantes somente com a presença de monitores. De acordo com Moraes, o Musa recebeu nesta quinta-feira (29) 200 visitantes e por isso teve de fechar suas portas por volta das 16h.

“Nessa área não temos câmeras. Já tivemos outros furtos, mas de equipamentos. Quem vai imaginar de cobras? Já comuniquei que elas foram roubadas em uma caixa de plástico onde estavam pequenas jararacas. Quem roubou, usou o instrumento [gancho] que utilizamos para manuseá-las”, declarou.

O veterinário Anselmo da Fonseca disse que não há como garantir se quem roubou as cobras conhece o comércio ilegal de animais. “Na sala tem dois ganchos. A pessoa pegou um deles para pegar os bichos. Uma delas é uma jiboia arco-íris e a outra não. Uma pessoa ligada com a atividade ilegal pode até encomendar uma jiboia comum, mas a arco-íris é mais difícil. Ela é muito utilizada em criadouros legalizados como pet por ser um bicho fácil de amansar”, explicou.

O Batalhão Ambiental da Polícia Militar do Amazonas e a Polícia Civil foram acionados para investigar o roubo. As cobras são de propriedade da Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado, sendo utilizadas no Musa como instrumentos de educação ambiental. Informações também podem ser repassadas para o Musa por meio do número (92) 3582-3188.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.