Terça-feira, 21 de Maio de 2019
APÓS REBELIÃO

Familiares dos presos mortos em chacina no Compaj vão receber indenização

A informação foi confirmada pelo defensor público geral em exercício do Amazonas, Antônio Cavalcante, durante coletiva na manhã desta terça-feira (3), junto com o ministro da Justiça, Alexandre Moraes



FAMILIARES.jpg
(Foto: Antonio Menezes)
03/01/2017 às 11:37

Os familiares de mais de 50 vítimas da cachina no Complexo Penitenciário Anisio Jobim (Compaj) que aconteceu no último domingo (1), receberão indenizações do Governo pelas mortes dos detentos. A informação foi confirmada pelo defensor público geral em exercício do Amazonas, Antônio Cavalcante, durante coletiva de imprensa realizada na manhã desta terça-feira (3), junto com o ministro da Justiça, Alexandre Moraes.

Na última segunda-feira, o governador José Melo (PROS) foi questionado sobre as possíveis indenizações mas se esquivou, justificando que não era o momento de falar sobre o assunto. No entanto, nesta manhã o defensor público afirmou que a Procuradoria Geral do Estado (PGE) anunciou o pagamento de indenizações às vítimas, que estavam sob custódia do Estado e foram violentamente assassinados

"Faremos uma negociação com as família para que essas indenizações sejam pagas sem que haja a necessidade de processo judicial", frisou Antonio. Segundo ele, existem parâmetros que devem ser analisados até que os pagamentos sejam efetuados, mas não entrou em detalhes.

"O governo vai nos colocar um acordo e colocaremos um contraponto em defesa das famílias até chegarmos em um denominador comum". Além disso, a DPE deverá prestar apoio aos familiares com assistência jurídica.

Falta estrutura

Questionado sobre as causas de não terem agido antes da rebelião, uma vez que há conversas telefônicas gravadas entre os líderes da facção prenunciando o massacre, Antônio atribuiu a falta de estrutura do órgão.

"A defensoria tem a atuação institucional de acompanhar a execução penal, a instituição é recente e nós não temos estrutura ainda. Inclusive estamos estudando montar um núcleo da Defensoria  Penal com mais sete ou dez defensores  para que possamos dar efetividade a isso. Temos mea culpa mas temos a justificativa que não temos estrutura", pontuou.                      


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.