Quarta-feira, 05 de Agosto de 2020
DEBATE

Josué Neto leva invertida de deputados após críticas na Aleam

Presidente da Aleam investiu contra deputados ao comentar o Projeto de Lei do Gás, que busca abrir o mercado do gás natural no AM



JN_Imprensa-1-e1565013586856_8ADC5A27-B6F4-4CE4-A958-EC7BB7F20B66.jpg Foto: Reprodução/Internet
14/07/2020 às 11:17

Ao usar a palavra durante o pequeno expediente, bloco de discursos ao qual os deputados têm direito a cinco minutos de fala, o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) deputado estadual Josué Neto (PRTB) investiu contra os deputados da base do governo na Casa legislativa.

Falando da ‘Lei do Gás’, Josué Neto questionou o deputado Roberto Cidade (PV) “com que consciência você dorme, deputado Roberto Cidade? Como vossa excelência consegue encostar o seu cabelo no travesseiro sem remédio? Não é possível”.



Roberto Cidade chegou a pedir um aparte na fala, Josué negou “vossa excelência não tem a palavra, estamos no pequeno expediente. Não adianta ligar microfone. Não tem a palavra. Não pode”.

Em resposta, a vice-presidente da ALE-AM, Alessandra Campelo cobrou respeito de Neto. Olhando para Josué, Alessandra retrucou o presidente “quem me colocou aqui não foi nenhum senador e governador, que botou a mão na minha cabeça, não”.

“Esse tipo de gracinha acabou! Esse tipo de gracinha acabou! Mais respeito. Bora tratar as coisas com respeito. Respeite aqui seus colegas e suas colegas. Respeite todos seja oposição, situação, seja base”, cobrou Campelo.

Roberto Cidade respondeu Josué Neto dizendo que foi “mais deputado que vossa excelência nas últimas eleições, não é porque você tem um interesse próprio, que você vai vir na tribuna e vai apontar o dedo para mim, sou tão deputado como você”.

Neto fez uso de palavras como “cocô” e “merda” ao se referir ao governo de Lima. Belarmino Lins (PP) que ocupou a presidência enquanto o deputado falava, retirou das notas taquigráficas os termos.
 
Deputado Cabo Maciel (PL) disse que “ainda não foi ameaçado”, mas se as ameaças vierem, “quero que seja homem para me chamar e pode me ameaçar”. Ao responder, Maciel ressaltou o passado humilde “sou filho de um picolezeiro, de uma dona de casa, ambos semi analfabetos”. 

Josué citou nominalmente de forma depreciativa  os deputados Roberto Cidade, Alessandra Campelo, Therezinha Ruiz, Cabo Maciel, Adjuto Afonso, sem ceder aparte.

Temendo mais reações dos deputados contra as declarações, Neto pediu desculpas aos deputados que tiveram o nome citado no discurso dele.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.