Sábado, 20 de Julho de 2019
POLÍCIA

Jovem acusada por homicídio nega crime e denuncia perseguição em Manaus

Morgana da Silva, de 19 anos, afirma estar sendo há dias perseguida por homens em um carro modelo HB20 branco e diz que foi pressionada por policiais para confessar crime que não cometeu



mulher-perseguida_4FE78698-5BA2-4B90-8048-3F6192E554FD.JPG Foto: Joana Queiroz
08/01/2019 às 21:01

Morgana Araújo da Silva, 19, moradora do bairro Monte das Oliveiras, na Zona Norte, está com medo de ser morta a qualquer hora por homens que em um carro modelo HB20 de cor branca e placa não identificada. “Eles estão me perseguindo desde ontem”, disse a mulher que esteve, nessa terça-feira (8), na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) para comunicar o caso, porém não chegou ser ouvida pela delegada Ana Paula Braga de Souza.

Para ela, a perseguição e ameaças que vem sofrendo podem estar ligadas ao homicídio de um homem ocorrido em agosto do ano passado pelo qual ela está sendo acusada de ser a autora. Porém, Morgana nega e diz que não conhecia a vítima.

Morgana disse que depois de saber que estava sendo investigada, chegou a ir ao 15º Distrito Integrado de Polícia (DIP) procurar saber se procedia, mas o policial que a atendeu disse que não podia fazer nada por se tratar de um boato.

Dias depois, segundo ela, foi surpreendia por policiais que não apresentaram nenhum mandado de prisão ou de busca e apreensão, mas que a levaram presa para a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). Lá ela disse ter sido interrogada por seis pessoas.

“Eles me disseram que eu estava presa por homicídio, que eu matei o homem que tinha abusado de mim. Eu nunca sofri abuso. Os policiais me fizeram muita pressão, ameaçaram me levar para o varadouro e eu acabei confessando por um crime que eu não cometi. Fui agredida e estou com muito medo”, contou.

Na noite da última segunda-feira, a mulher disse que homens desconhecidos tentaram matá-la e suspeita que sejam familiares do homem morto. “Eu estava no meu quarto e vi um homem armado com uma pistola na frente da minha casa. Em seguida, ele  tentou entrar”, revelou.

Homicídio

O crime do qual Morgana está sendo acusada de ter cometido aconteceu no final de agosto do ano passado. Um homem foi encontrado morto com perfurações de arma branca em um terreno baldio, no bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte de Manaus. A vítima era conhecida como “Janderson”. Ele foi assassinado com ao menos dez golpes.

Denúncia na SSP

Morgana foi a Corregedoria Geral da Secretaria de Segurança Pública (SSP), também nessa terça-feira, e denunciou os policiais que invadiram o seu quarto e a levaram para a DEHS, onde sofreu tortura psicológica para confessar um crime que ela diz não ter cometido. Hoje (9), a mulher deverá voltar a Corregedoria para reconhecer, por meio de fotos, os investigadores que entraram na sua casa.

Providências

O titular da DEHS, Paulo Martins, disse que desconhece o caso porque na época do ocorrido, ele ainda não estava na especializada.  “Preciso conversar com essa pessoa para tomar conhecimento dos fatos e assim tomar as providências que forem necessárias”, disse Martins.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.