Publicidade
Manaus
CRIME

Jovem preso com arma no Coroado confessa ter matado estagiário do Inpa

Mateus Mutimo Moraes, 21, disse durante interrogatório que foi o autor do disparo que tirou a vida de Jabson Franco da Costa, 34, no dia 21 de julho deste ano 18/09/2018 às 02:35 - Atualizado em 18/09/2018 às 10:28
Show estig rio e52486f2 c990 4025 a714 75c469e1718b
Mutimo foi preso por volta das 17h da última sexta-feira, no Coroado 3; polícia ainda procura outro acusado. Foto: Divulgação
Joana Queiroz Manaus (AM)

Mateus Mutimo Moraes, 21, foi preso em flagrante por policiais militares da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam) por estar portando um revólver calibre 38 carregado com uma munição. Durante o interrogatório, de acordo com os policiais, ele confessou ser o autor do disparo que matou Jabson Franco da Costa, 34, estagiário do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), no dia 31 de julho deste ano.

Mutimo foi preso por volta das 17h de sexta-feira (14), em uma casa na rua Santo Agostinho, bairro Coroado 3, Zona Leste. Os policiais chegaram ao local depois de receberem uma denúncia anônima informando que na casa havia uma pessoa armada e consumindo droga.

Os policiais se deslocaram ao endereço citado e conseguiram encontrar o suspeito. Com ele foi apreendido um revólver calibre 38 de marca Taurus numeração DD79714. O mesmo foi encaminhado ao 14º Distrito Integrado de Polícia (Dip), onde foi autuado pelo crime de porte ilegal de arma de fogo.

Durante o interrogatório, Mutimo confessou ser o autor do tiro que matou o estagiário. Conforme os policiais da Rocam, além de ter assumido a autoria do crime, ele disse que naquele dia estava fazendo arrastões na área do Coroado acompanhado de Endrew Silva, que pilotava a motocicleta.

Conforme disse o criminoso na presença dos policiais, Endrew é filho do traficante Ronairon Moreira, que já comandou o tráfico no Coroado. O filho do traficante não foi localizado e está sendo procurado pela polícia pela participação no crime do estagiário.

No domingo Mutimo foi encaminhado para audiência de custódia que foi presidida pela juíza plantonista Eline Paixão. Perante a magistrada e o promotor de justiça Geber Mafra, ele alegou ter sofrido violência no momento da prisão e que ficou na delegacia sem comer e sem beber água.

A juíza encaminhou um ofício à Promotoria Especializada no Controle Externo da Atividade Policial (Proceap) para que a denúncia do preso seja apurada. Eline Paixão, em concordância com o parecer do Ministério Público, transformou a prisão em flagrante para prisão preventiva e encaminhou o mesmo para uma unidade prisional.

O caso

Jabson Franco da Costa, 34, morreu após ser baleado, quando voltava para casa, ao se negar a entregar o seu aparelho celular para a dupla que estava armada em uma motocicleta de cor preta e placa não identificada. O caso ocorreu no ponto de ônibus que fica em frente ao Inpa, na Avenida André Araújo, Petrópolis, Zona Sul. Segundo populares, Jabson disse que não era para levarem o seu celular. Então, um dos criminosos disparou contra a vítima que foi encaminhada desacordada ao HPS João Lúcio, na Zona Leste, onde faleceu.

Publicidade
Publicidade